Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 06 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

artigo

Notícia da edição impressa de 06/04/2018. Alterada em 05/04 às 21h29min

Propósito maior, a saída para o Brasil

Alex Pipkin
Futuro esperançoso no País cada vez mais longínquo! Dualização extrema. O ambiente político nacional, que contamina o econômico e social, conduziu-nos à encruzilhada. Infrutífera, igualmente, ótica saudosista. O passado não era melhor. Evoluímos em nível de consciência, mas as pessoas se desenvolvem distintamente em relação a aspectos cognitivos, morais e psicológicos. Nesta contenda, ambos os lados verbalizam valores e princípios - nobres -, que são ignorados pela conveniência de interesses e resultados pessoais e grupais.
É urgente e mandatória a superação do conflito estabelecido entre duas "visões de mundo" opostas: direita e esquerda. Indispensável desenvolver em todos os ambientes, clima propício ao amadurecimento necessário, objetivando busca e alcance, a partir de todas correntes políticas, de um propósito magnânimo e maior. Imperioso abrir mão de velhas certezas. Todos, em especial, dirigentes nacionais, têm o dever de buscar, genuinamente, um propósito grandioso na direção da melhoria de vida das pessoas e da sociedade. No conturbado momento, ignoram-se o diálogo e a tentativa de se trazer as contribuições da "agenda positiva de todos os lados". Predominam orgulho e egos. Precisamos reduzir movimentos dicotômicos para a construção de um eventual consenso mínimo. Somente pensando e agindo de acordo com princípios e valores que apontem para um "propósito maior", é que conseguiremos sair do atoleiro. Inadiável o abandono das paixões da bandeira partidária e a busca e ação baseados na ponderação.
Não esqueçamos que o homem é conduzido por paixões, mas é impulsionado por valores. Indivíduos, líderes empresariais e a classe política urgem refletir - e agir - dando-se conta de que a verdadeira inteligência e a felicidade, resulta do atingimento deste propósito maior.
Professor da Unisinos e consultor empresarial
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia