Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 18 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Palavra do Leitor

Notícia da edição impressa de 19/04/2018. Alterada em 18/04 às 21h12min

Coleta de lixo

A capital dos gaúchos, como muitos sempre chamam Porto Alegre, está muito suja. E não apenas por problemas de recolhimento, culpando sempre a prefeitura, mas pelo fato de que muitos porto-alegrenses jogam lixo ao lado dos contêineres, misturando lixo orgânico com o reciclável, segundo foto publicada pelo Jornal do Comércio (coluna Começo de Conversa, edição de 17/04/2018). Desta forma, ou todos nós colaboramos ou a cidade continuará muito suja, além das terríveis e grotescas pichações. (Cleonice da Matta, Porto Alegre)
Ficha Limpa
O mínimo que se pode esperar do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é que, com base na Lei da Ficha Limpa, impeça de concorrerem nas eleições deste ano todos os políticos condenados por envolvimento em corrupção. Se assim não o fizer, passará uma sensação de impunidade para a sociedade, configurando-se num golpe contra a democracia. (Roberto Fissmer, Porto Alegre)
Reforma política
Em reforma política séria, difícil de ocorrer, imprescindível estabelecer fidelidade entre eleito e eleitor! O candidato em campanha, não raro, assume compromissos depois renegados. Faz promessas que levam o eleitor a acompanhá-lo. Fala-se em fidelidade partidária, também inexistente, mais importante, porém, jamais cogitada, sequer, a do eleito com o eleitor. A fidelidade, que implicaria em extinção do mandato, único modo de evitar que continuemos vítimas de estelionatos eleitorais. Ninguém prometeria, óbvio, o impossível, muito menos contrariaria aquilo sustentado em campanha! (Jorge Lisbôa Goelzer, advogado, Erechim/RS)
Futebol
Impressionante como a mídia em geral ignora os clubes de futebol do Rio Grande do Sul, em favor da dupla Grenal. Clubes do Interior com grandes torcidas, fazem de tudo para se manter, mas recebem pouca cobertura. Depois, não reclamem quando poucos, muito poucos, vão assistir às partidas. (José Carlos de Mello, Pelotas/RS)
Insegurança
Um grande amigo meu, Samir Curi Hallal, sofreu tentativa de assalto, às 9h da manhã, em via movimentada de Pelotas. Um jovem, de bicicleta, o atropelou e jogou na calçada. Mas outros populares acudiram e o malfeitor fugiu. A insegurança está demais. (Ubirajara Ribas, bacharel em Ciências Contábeis, Pelotas/RS)
Loucura
Um ato mais do que tresloucado, mas uma loucura total quando um insano estuprou e matou uma menina, aqui no Rio Grande do Sul. Ele tem que ficar internato pelo resto da vida em um manicômio judiciário. (Maria Sueley)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia