Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 18 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

eleições 2018

Alterada em 18/04 às 20h54min

'Minha candidatura será decidida em Minas Gerais', diz Aécio

A pressão do ex-governador Geraldo Alckmin, presidente do PSDB, para que o senador Aécio Neves não dispute as eleições desse ano não surtiu efeito. Ao Estadão/Broadcast, Aécio afirmou que sua candidatura será decidida "coletivamente" em Minas Gerais.
"Tenho acompanhado o esforço do Alckmin para fortalecer a candidatura dele e torço para que ele tenha êxito porque será o melhor para o Brasil. Quanto à minha candidatura, ela será decidida coletivamente em Minas Gerais, como sempre ocorreu e no momento certo", afirmou o senador tucano.
Em entrevista à rádio Bandeirantes, o ex-governador paulista disse ser "evidente" que o melhor cenário para a sigla é que senador Aécio Neves não concorra esse ano. Alckmin disse, no entanto, esperar que a decisão parta do próprio senador e seja anunciada "nos próximos dias".
Aécio também voltou a se defender das denúncias contra ele.
"Sobre a denúncia a mim feita, concordo com Alckmin que situações diferentes não devem ser comparadas sob o risco de serem cometidas graves injustiças. No meu caso, vou provar agora minha correção".
Segundo Aécio, a acusação da Procuradoria-Geral da República não tem qualquer relação com a Lava Jato, "pois nada tem a ver com dinheiro público".
"Foi na verdade uma armação criminosa feita por réus confessos de centenas de crimes em busca de absolvição, e com a participação de membro do MP. O tempo permitirá que a verdade prevaleça."
A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) aceitou na terça-feira, 17, a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o senador tucano pelos crimes de corrupção passiva e obstrução da Justiça, com base na delação premiada do Grupo J&F.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia