Porto Alegre, quinta-feira, 21 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Galeria de imagens

CNJ e Exército fazem destruição conjunta de armas no Rio de Janeiro

Mais de 2 mil armas apreendidas foram destruídas pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e pelo Exército no Rio de Janeiro. A ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), presenciou a ação nessa quarta-feira (20). O material foi entregue pelo Tribunal de Justiça do Rio para atender a um acordo de cooperação técnica firmado em 21 de novembro. Pelo termo, os tribunais devem enviar ao Exército armas e munições apreendidas que não são mais necessárias para a condução do processo judicial. Segundo o conselho, uma pequena parte do armamento que está nos fóruns pode ser doada aos órgãos de segurança pública ou às Forças Armadas. A maioria das armas, tanto pelas condições precárias de conservação, quanto por suas características técnicas, não se enquadra nos padrões de uso da força policial ou militar.
 

FOTO Tânia Rêgo/Agência Brasil/JC
21/12/2017 - 15h26min