Porto Alegre, sexta-feira, 12 de maio de 2017. Atualizado às 16h54.

Jornal do Comércio

Galeria de imagens

Adriana Ancelmo, esposa de Cabral, depõe à Justiça Federal

Ré por corrupção e lavagem de dinheiro do esquema de corrupção do marido, o ex-governador do Rio Sergio Cabral (PMDB), a ex-primeira-dama Adriana Ancelmo, que está em prisão domiciliar, pode ser mandada de volta à cadeia por ter movimentado sua conta bancária no Itaú, bloqueada a mando da Justiça, quando estava presa. Nesta quarta-feira (10), em depoimento ao juiz da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, Marcelo Bretas, ela disse que, enquanto estava encarcerada, teve R$ 1,2 milhão creditado na sua conta, valor oriundo de um investimento em previdência privada em benefício de um de seus filhos. O dinheiro foi usado, segundo a ex-primeira-dama, para pagamentos de honorários advocatícios dos profissionais que a defendem, além de dívidas com funcionários e outras despesas. Como ela estava no presídio Bangu 8, os pagamentos foram feitos por sua secretária. 
 

FOTO Fernando Frazão/Agência Brasil/JC
12/05/2017 - 14h01min