Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 04 de maio de 2017. Atualizado às 21h32.

Jornal do Comércio

Viver

COMENTAR | CORRIGIR

cinema

Notícia da edição impressa de 05/05/2017. Alterada em 04/05 às 17h28min

Pequenos grandes amigos

Filme aborda amizade entre meninos de 13 anos com diferentes origens no Brooklyn

Filme aborda amizade entre meninos de 13 anos com diferentes origens no Brooklyn


GUION CENTER /DIVULGAÇÃO/JC
No filme, após a morte de seu avô, o reservado Jake (Theo Taplitz), de 13 anos, se muda com a família para o Brooklyn. Lá, conhece o extrovertido Tony (Michael Barbieri), de sua idade, e logo se tornam amigos inseparáveis. No entanto o pai de Jake (Greg Kinnear) herdou o imóvel da loja de roupas da mãe de Tony, uma chilena solteira (Paulina Garcia). Logo, um sério conflito entre as duas famílias, por causa do custo do aluguel, colocará em risco a amizade dos meninos.
Antes de Melhores amigos, o cineasta norte-americano Ira Sachs havia dirigido seis longas-metragens, entre eles o aclamado Deixe a luz acesa (2012), vencedor do prêmio Teddy Bear no Festival de Berlim; e O amor é estranho (2014). Seu título mais recente também foi exibido na mostra oficial do Festival de Berlim, além de ter vencido o Grande Prêmio Especial do Deauville Festival.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia