Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 09 de fevereiro de 2017. Atualizado às 20h43.

Jornal do Comércio

Viver

COMENTAR | CORRIGIR

teatro

Notícia da edição impressa de 10/02/2017. Alterada em 09/02 às 16h21min

Teatro para todos

É proibido miar, desde sua concepção utiliza a audiodescrição e Libras, enquanto narrativa e gesto.

É proibido miar, desde sua concepção utiliza a audiodescrição e Libras, enquanto narrativa e gesto.


LUCIANE PIRES FERREIRA/DIVULGAÇÃO/JC
O espetáculo É proibido miar realiza duas sessões, sábado e domingo, às 21h, no Teatro Novo DC (Frederico Mentz, 1.561), dentro do Porto Verão Alegre. A peça, com direção de Denis Gosch, é baseada no livro homônimo de Pedro Bandeira e traz um diferencial: desde sua concepção os atores utilizaram o potencial criativo da audiodescrição e Libras, enquanto narrativa e gesto.
Ao trazer a oportunidade de assistir de todos assistirem um espetáculo para, a companhia busca mostrar que o diferente existe e está em todos os lugares e gerando o debate sobre a acessibilidade.Minutos antes de iniciar cada sessão, os atores convidam o público a participar de um "tour tátil" pelo espaço onde a apresentação será realizada, espaço cênico e figurinos. Assim, as pessoas cegas ou com baixa visão recebem mais estímulos sobre a história que será contada e o público vidente pode conhecer um pouco mais sobre a peça interagindo com o espaço cênico.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia