Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 09 de fevereiro de 2017. Atualizado às 17h58.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 09/02 às 18h59min

Dólar fecha em leve alta alinhado ao exterior com Trump

O dólar fechou em leve alta ante o real nesta quinta-feira (9). No término da sessão, registrou ganho de 0,28%, aos R$ 3,1269, tendo percorrido intervalo de R$ 3,1139 (-0,14%) na mínima e R$ 3,1334 (+0,48%) na máxima.
Após manhã de instabilidade, o avanço da divisa norte-americana foi consolidado pela iniciativa do presidente Donald Trump para reduzir a regulamentação no setor aéreo dos Estados Unidos. O movimento cambial vindo do exterior ecoou por aqui com alguma correção no dólar, já que o mercado doméstico acumulava, até então, três baixas seguidas diante do real.
Apesar de modesto, o avanço da sessão foi mais que suficiente para superar a queda de 0,20% nos últimos três dias. O volume de negócios somou US$ 1,235 bilhão, de acordo com dados registrados na BM&FBovespa.
O dólar futuro para março fechou aos R$ 3,1450, com alta de 0,38%. A máxima foi marcada em R$ 3,1475 (+0,46%) e a mínima em R$ 3,1275 (-0,18%). O giro somou US$ 11,029 bilhões.
Numa reunião com representantes do setor de aviação, o presidente dos EUA prometeu que vai modernizar os sistemas aéreos do país e também cortar regulações. Trump ainda afirmou que deve fazer um anúncio "fenomenal" na seara tributária nas próximas semanas, e reclamou dos impostos que recaem sobre o setor. Trump também reclamou que países como o Japão e a China têm trens rápidos, enquanto os Estados Unidos não têm.
Por aqui, há espera por alguma sinalização do Banco Central sobre o próximo vencimento de contratos de swap cambial.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia