Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Opinião

Opinião

- Publicada em 03 de Agosto de 2022 às 20:48

Cidades-irmãs para cooperar e crescer

Fátima Daudt

Fátima Daudt

Irmãos nutrem laços afetivos e se apoiam mutuamente. A analogia vale para Novo Hamburgo e Dongguan, na China, que se tornaram cidades-irmãs recentemente. A partir do memorando de cooperação que assinei com o prefeito Lyu Chengxi, as duas cidades se aproximam - apesar dos 18 mil quilômetros de distância - para desenvolver parcerias comerciais e intercâmbios em várias áreas, especialmente em inovação e tecnologia.

Uma das primeiras iniciativas será intensificar ações para aproximar nossas empresas de investidores chineses. Nessa empreitada, contaremos com o apoio da Associação Comercial, Industrial e de Serviços (ACI) de Novo Hamburgo, Campo Bom e Estância Velha.

E por que isso é importante? É que a China, por ser o principal parceiro comercial do Brasil, oferece muitas oportunidades de negócios. A recíproca também é verdadeira: os chineses dependem muito dos produtos brasileiros e da nossa mão de obra qualificada. Aliás, nossa relação com Dongguan teve início nos anos 1990, quando centenas de brasileiros, especialmente hamburguenses, levaram para lá sua expertise no setor coureiro-calçadista.

Nas conversas com os representantes de Dongguan, senti que o interesse na cooperação é mútuo e genuíno. E as potencialidades são muitas: o município chinês conta com mais de 10 milhões de habitantes, quase a população inteira do Rio Grande do Sul, e caminha para ser a 15ª cidade da China, com PIB de mais de 1 trilhão de yuans (cerca de R$ 700 bilhões).

Não tenho dúvidas de que reforçar esses laços impulsionará positivamente as duas comunidades, ajudando a projetar ainda mais Novo Hamburgo nacional e internacionalmente.

A visibilidade que temos alcançado tem como objetivo ampliar negócios, atrair investimentos estrangeiros e, como consequência, melhorar a vida da população. Nossas ações mostram que o poder público pode pensar fora da caixa em busca de soluções para os desafios cotidianos, ou seja, de forma inovadora, criativa e fora dos padrões convencionais.

Prefeita de Novo Hamburgo (PSDB) e vice-presidente da Frente Nacional de Prefeitos

 

Conteúdo Publicitário
Leia também
Comentários CORRIGIR TEXTO