Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Tradicionalismo

- Publicada em 20 de Setembro de 2022 às 13:14

Cultura gaúcha é enaltecida em Desfile Farroupilha na Orla do Guaíba

Desfile contou com a apresentação de órgãos das Forças de Segurança Pública, CTGs e movimentos tradicionalistas, gaúchos pilchados e representantes de diversos povos

Desfile contou com a apresentação de órgãos das Forças de Segurança Pública, CTGs e movimentos tradicionalistas, gaúchos pilchados e representantes de diversos povos


Andressa Puffal/ JC
Bárbara Lima
Apesar do amanhecer nublado, o sol e o calor predominaram na manhã desta terça-feira (20), em Porto Alegre, levando o público geral e as autoridades a comemorarem a cultura gaúcha e a acompanharem o Desfile Farroupilha, que aconteceu na Orla do Guaíba, na Avenida Edvaldo Pereira Paiva. O evento iniciou por volta das 8h40min e se estendeu até às 11h.
Apesar do amanhecer nublado, o sol e o calor predominaram na manhã desta terça-feira (20), em Porto Alegre, levando o público geral e as autoridades a comemorarem a cultura gaúcha e a acompanharem o Desfile Farroupilha, que aconteceu na Orla do Guaíba, na Avenida Edvaldo Pereira Paiva. O evento iniciou por volta das 8h40min e se estendeu até às 11h.
Após a abertura oficial, quando o governador do Rio Grande do Sul, Ranolfo Vieira Júnior, e o Comandante Geral da Brigada Militar, Cláudio dos Santos Feoli, passaram as tropas em revista, o desfile iniciou com a apresentação cívico-militar, com integrantes da Brigada Militar, da Polícia Civil, da Colégio Militar Tiradentes, Corpo de Bombeiros, do Instituto Geral de Perícias e Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe) da Polícia Rodoviária. Eles desfilaram em viaturas, a pé e a cavalo. No céu azul sobre o Guaíba também sobrevoaram dois helicópteros da Polícia.
Durante a passagem desses órgãos, era possível ver crianças e adultos dentro de viaturas históricas, como o fusca 1982 da Polícia Civil e o Opala 1988 – ambos veículos emprestados do museu da corporação para a solenidade deste dia 20 de setembro. Também desfilaram os cães farejadores da Polícia Civil, que trabalham nas operações de combate ao narcotráfico, e foram aplaudidos pela população que estava no local, especialmente pelas crianças.
“É um sentimento de orgulho, até porque a Brigada Militar se confunde com a história do Rio Grande do Sul. Hoje é o dia da maior Revolução que tivemos no Estado. É um dia para que possamos celebrar, mesmo quando dizem que os gaúchos perderam a revolução de forma bélica, os ideais defendidos naquela época são hoje vitoriosos na sociedade brasileira”, refletiu o comandante Geral da Brigada Militar, Feoli, após a apresentação de todos os órgãos da Segurança Pública.
O governador do Estado foi na mesma linha de Feoli e disse que “o público foi brindado com um dia espetacular e um desfile muito bonito, que retratou a história e a tradição e a representatividade do dia 20 de setembro para os gaúchos”. No evento, ele ainda aproveitou a ocasião para anunciar a cessão onerosa do antigo terreno onde seria instalada a montadora de carros Ford, no Distrito Industrial de Guaíba, na Região Metropolitana, para a fabricante de aeronaves Aeromot. “Será nesta quinta-feira. Irá gerar 1,3 mil empregos”, afirmou Ranolfo Vieira Junior.
De poncho e lenço vermelho amarrado no pescoço, o prefeito de Porto Alegre Sebastião Melo ressaltou a diversidade étnica do Estado e comemorou as festividades farroupilhas. “É um estado acolhedor e educador. Viva o 20 de setembro!”, bradou.
O servidor público Bruno Fernandes, trajado com bombacha, botas, lenço e boina, chimarrão em uma mão e a coleira do cachorro na outra, acompanhou o desfile para ver a namorada, Sabrina Oliveira, que percorreu o trajeto até o Acampamento Farroupilha, no Parque Harmonia, pelo Instituto Geral de Perícias do RS. “Eu costumo desfilar no interior, em Lavras do Sul e em Santana do Livramento. Viemos [ele e o cachorro] acompanhar ela [a namorada] hoje, está bonito”, considerou Fernandes.
Etnias que formam o povo gaúcho foram representadas no Desfile do 20 de Setembro
Logo após o encerramento da participação militar no Desfile Farroupilha, com a apresentação dos cavalos do Regimento de Polícia Montada, o público viu de perto o desfile do grupo União das Etnias de Ijuí (Ueti), que apresentou o tema "Etnias do gaúcho: Rio Grande, terra de muitas terras".
Neste momento, passaram pela avenida representantes, vestidos à caráter, de diversos povos que formam a identidade dos gaúchos, passando pelos colonizadores portugueses, imigrantes italianos e alemães e japoneses. Também foram representados os povos africanos escravizados no país durante o Brasil Colônia e os povos indígenas originários das terras gaúchas.
A pequena Fernanda Galimberti, de apenas 10 anos, estava acompanhada da mãe Letícia Galimberti, esposa do diretor cultural da 1ª Região Tradicionalista, Fernando Galimberti. A filha do casal, que estava vestida com o tradicional vestido de prenda azul, estava feliz de ver o desfile das etnias. “Foi o que mais gostei até então”, celebrou. Letícia Galimberti acrescentou ainda: “Todos os anos estamos aqui para prestigiar”.
As prendas juvenis do Rio Grande do Sul Carolina Moraes e Renata Schiedeck deixaram a avenida emocionadas após desfilarem com outras meninas vestidas a rigor e com os peões de chapéu e bombacha. “Eu desfilo nesta Avenida desde que tenho quatro anos e hoje, como Prenda do Rio Grande do Sul, é uma grande emoção”, disse Carolina. “É um momento precioso e único”, complementou Renata.
Tradicionalistas encerraram o desfile representando os piquetes e CTGs
Os Centros de Tradições Gaúchas (CTGs), piquetes e público em geral também participaram do Desfile Farroupilha na Orla do Guaíba, sendo os últimos a se apresentar. Esse foi um dos momentos em que o público mais fez barulho, aplaudindo e assobiando para os tradicionalistas, que vestiam bombachas, vestidos de prenda, botas e chapéus.
A Chama Crioula, acesa em Canguçu, no Interior do Estado, e que viajou por 30 regiões tradicionalistas do Rio Grande do Sul até chegar a Capital, foi levada na avenida pelos gaúchos em seus cavalos. Desfilaram 25 grupos, entre CTGs e piquetes.
Destacou-se ainda a presença de mulheres, com o piquete Tchê Gurias, e a presença de crianças e pessoas negras, que foram exaltadas pela sua contribuição na história do Rio Grande do Sul. Em um dos caminhões que levava representantes da Ordem dos Advogados do Brasil, crianças e mulheres negras, vestidas com o tradicional lenço vermelho na cabeça, representavam os Lanceiros Negros e empunhavam as mãos para cima, num gesto clássico que pede o fim do racismo no Estado.
A avaliadora da comissão de Avaliação do Desfile Tradicional, Carolina Lucas, apontou que, durante o desfile, foram analisados a indumentária e o comportamento geral dos piquetes. “Voltar depois da pandemia é sensacional. Nosso movimento tradicionalista a gente vive durante 365 dias, mas estar aqui hoje é muito importante e representativo”, afirmou Carolina.
Ao fim do desfile, muitas pessoas ainda seguiam em direção ao Acampamento Farroupilha, no Parque Harmonia, onde é possível desfrutar de um bom churrasco. A expectativa é que mais de 100 mil pessoas passem pelo lugar hoje.
O empresário Roberto Chagas e a esposa Camila Chagas resolveram levar a pequena Maria Eduarda, de dois anos, para conhecer o desfile e já aproveitaram para ir ao Acampamento Farroupilha. “A nossa filha adorou os cavalos e os carros antigos que desfilaram. Agora vamos comer uma carne lá no acampamento, primeira vez”, entusiasmou-se Roberto Chagas.
Conteúdo Publicitário
Leia também
Comentários CORRIGIR TEXTO