Isadora Jacoby

Comandado por dois amigos, o Sotaque abriu em janeiro com foco na simplicidade

Com comida típica de boteco, novo espaço movimenta tradicional esquina da avenida Protásio Alves

Isadora Jacoby

Comandado por dois amigos, o Sotaque abriu em janeiro com foco na simplicidade

Em dezembro, ainda em obras, o GeraçãoE visitou o Sotaque, novo boteco de Porto Alegre que ocupa a tradicional esquina da avenida Protásio Alves com a rua João Guimarães. Recém inaugurado, o espaço tem atraído o público da Capital que busca por comidas típicas de boteco, como pastel e conservas, movimentando o ponto do bairro Rio Branco. 
Em dezembro, ainda em obras, o GeraçãoE visitou o Sotaque, novo boteco de Porto Alegre que ocupa a tradicional esquina da avenida Protásio Alves com a rua João Guimarães. Recém inaugurado, o espaço tem atraído o público da Capital que busca por comidas típicas de boteco, como pastel e conservas, movimentando o ponto do bairro Rio Branco. 
Gustavo Jordani Aimi, 35 anos, e Lucas Cavana, 32, criaram o espaço para ser um boteco raiz, apostando na cerveja gelada e em um cardápio simples para atrair a clientela. A receita tem dado certo, conta Gustavo, afirmando que os primeiros dias de operação foram de casa lotada, tanto que, na última semana, os estoques do bar chegaram a terminar devido à alta demanda. "Tem tido um movimento muito bom. A vizinhança comprou a ideia", celebra Gustavo. 
O espaço, que opera de segunda a sábado, das 18h à meia-noite, comporta cerca de 50 pessoas. No cardápio, o destaque são as porções de pastéis fritos, que são recheados com queijo, carne, moela ou cogumelos, as conservas, e os sanduíches, que além do clássico buraco quente, contam com opção vegana. Nas bebidas, o foco são as cervejas e os drinks com receitas clássicas e autorais.
Os sócios se conheceram no outro bar comandado por Gustavo, a Bárbaros Cervejas Especiais, local que opera há oito anos na rua Ramiro Barcelos, onde Lucas era cliente. De lá, surgiu uma amizade que se transformou em sociedade na nova operação. "Chama-se Sotaque porque sou da serra gaúcha, o meu sócio é de São Paulo, então a ideia surgiu a partir dessa brincadeira dos sotaques. Também porque queremos, entrando no clima de boteco, passear pelos botecos do Brasil, visitando vários sotaques para apresentar isso para o público", explica Gustavo. 
Lucas é responsável por comandar a cozinha da operação, que surgiu a partir da identificação dos sócios com um modelo mais simples de negócio. Por isso, o espaço com pé direito alto e decoração que preserva as características originais do prédio, foca em um cardápio enxuto e simples. "Não vamos inventar a roda. Vamos fazer o simples bem feito. Trabalhei muito tempo com alta gastronomia para descobrir que quero trabalhar com baixa gastronomia. Pastel bem feito, sanduíche, cerveja gelada de garrafa", diz Lucas.
O Sotaque opera na avenida Protásio Alves, nº 699.
 
 
Isadora Jacoby

Isadora Jacoby - editora do GeraçãoE

Isadora Jacoby

Isadora Jacoby - editora do GeraçãoE

Deixe um comentário


Leia também