Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Cultura

- Publicada em 05 de Agosto de 2022 às 17:22

Dupla 50 Tons de Pretas integra programação gratuita da Feira Internacional da Música do Sul

Dupla de artistas está entre os sete pré-selecionados para participarem da conferência nacional, que ocorre em Curitiba

Dupla de artistas está entre os sete pré-selecionados para participarem da conferência nacional, que ocorre em Curitiba


PRISCILLA CEZAR/DIVULGAÇÃO/JC
Adriana Lampert
A dupla 50 Tons de Pretas está entre as sete bandas que integram a programação gratuita de etapa seletiva da Feira Internacional da Música do Sul (FIMS), que acontece neste final de semana na Casa de Cultura Mario Quintana (Rua dos Andradas, 736 - Centro Histórico).
A dupla 50 Tons de Pretas está entre as sete bandas que integram a programação gratuita de etapa seletiva da Feira Internacional da Música do Sul (FIMS), que acontece neste final de semana na Casa de Cultura Mario Quintana (Rua dos Andradas, 736 - Centro Histórico).
Espaço de aprendizado, desenvolvimento, profissionalização e encontro de profissionais de música do País, a FIMS é uma conferência que busca artistas, produtores, trabalhadores do music business e interessados em entrar neste mercado, além de apresentar bandas para programadores, gravadores, curadores e organizadores de festivais do Brasil, dos Estados Unidos, e de países da Europa e da América Latina.
Esta é a primeira vez que o evento acontece fora de Curitiba: em sua sexta edição, além de Porto Alegre, onde ocorre neste sábado (6) e domingo (7), a Feira promoverá etapas seletivas estaduais também em Londrina (PR) e Itajaí (SC), nas próximas semanas.
Na Capital gaúcha, a programação é aberta ao público em geral. Além de 50 Tons de Pretas, as bandas Zanzar e Kiai, e os artistas Jortacio, Cristian Sperandir, Negra Jaque e Paola Matos irão apresentar seus repertórios na Sala Bruno Kiefer da Casa de Cultura Mario Quintana (Rua dos Andradas, 736 - Centro Histórico), em shows-cases de aproximadamente 20 minutos cada.
O evento também promove outras atividades, como seminários, palestras e painéis, com temáticas sobre a cena musical gaúcha e políticas públicas para o setor, além de gestão de carreira e empreendedorismo na área musical. 
Segundo o idealizador e diretor geral da FIMS, Téo Ruiz, a perspectiva é de que ocorra a integração dos profissionais da área nos três estados envolvidos. "A ideia é unir e entender melhor a cena para cada estado do Sul do País, e propiciar que os artistas se preparem para eventos nacionais e internacionais." O músico e compositor observa que "a cena da Região Sul é muito ativa e muito pulsante", e destaca que a feira é um evento que "pretende encurtar as distâncias e inserir, cada vez mais, novos talentos, incluindo artistas mulheres, negros e LGBTQIA+ na cena nacional".
Na análise de Ruiz, os shows cases são uma oportunidade que os músicos do Interior têm de circular pelo Estado, se conectar com outros artistas da Capital, além de desenvolver sua carreira fora da cena local. "Nestes anos de Feira, obtivemos muitos resultados positivos, com profissionais premiados pelo Grammy Award e que foram para a Europa - tudo a partir da FIMS."
Conteúdo Publicitário
Leia também
Comentários CORRIGIR TEXTO