Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Começo de Conversa

- Publicada em 22 de Junho de 2022 às 20:11

As montanhas do Arroio Dilúvio


Andressa Pufal/JC
Fernando Albrecht
O Arroio Dilúvio tem essa fama porque botava para fora a qualquer chuva mais volumosa em Porto Alegre. Depois de canalizado, não bota mais água para fora, mas em compensação o assoreamento o entope, cria condições para a formação de ilhas com vegetação. Por isso, a dragagem periódica revela monturos que impressionam. Não fosse o lixo tóxico, seria adubo do bom.

O Arroio Dilúvio tem essa fama porque botava para fora a qualquer chuva mais volumosa em Porto Alegre. Depois de canalizado, não bota mais água para fora, mas em compensação o assoreamento o entope, cria condições para a formação de ilhas com vegetação. Por isso, a dragagem periódica revela monturos que impressionam. Não fosse o lixo tóxico, seria adubo do bom.

 

Do Centro para o Sul

O pré-candidato a governador pelo PSC, Roberto Argenta, presidente da Calçadas Beira Rio, foi o palestrante do Tá na Mesa da Federasul. O tema era administração de empresas, mas Argenta também navegou para a Metade Sul, enfatizando que a região precisa de algum tipo de incentivo (matéria nesta edição). No geral, mostrou que sabe onde o sapato aperta.

 

Historinha lacustre

História que aconteceu com o colunista há coisa de 10-12 anos. Um grupo de executivos italianos que visitava o Mercado Público de Porto Alegre queria saber que horas saía o ferry boat ou lancha rápida para Rio Grande. Meu silêncio embaraçoso foi a melhor resposta. Assim como nos Estados Unidos houve a expansão para o Oeste, aqui a expansão precisa mirar o Sul.

Casca de banana I

Depois de um longo período de gestação na Maternidade Agora Vai, a senadora Simone Tebet parece estar descontando o atraso como pré-candidata ao Palácio do Planalto. Além dos filmetes do MDB no horário dos partidos, a parlamentar abriu os trabalhos dando entrevistas, como a concedida ao SBT. O que vem sendo pinçado pode estar fora do contexto, mas merece atenção.

Casca de banana II

Ao dizer que se não chegasse ao segundo turno votaria no candidato "que defende a democracia", Simone abriu o flanco para suposições de que seria o ex-presidente Lula (PT). Mas ela escorregou em uma casca de banana. Nunca um candidato deve dizer que pode não chegar lá. A resposta óbvia seria dizer que votaria nela, porque ela lá estaria, que essa hipótese de não chegar lá não existe.

Auxílio Brasil

Se a pesquisa do PoderData estiver correta e, neste caso, se o eleitor não mudar de intenção de voto, o Auxílio Brasil que substitui o Bolsa Família dá apenas 28% de votos a Bolsonaro, contra 45% a Lula. Economia capenga e inflação alta explicam.

Panela teflon

Não é só o presidente Jair Bolsonaro que não bota lombada eletrônica nas suas falas, Lula também acha que está na freeway. Ao dizer publicamente que pediu ao presidente FHC anistia para os sequestradores do empresário Abílio Diniz - que estrilou barbaridade - mostrou um lado perigoso. Para sorte dele, continua sendo panela teflon.

Igreja livraria

Uma mudança inusitada. A tradicional livraria Bamboletras vai se mudar para o espaço de uma antiga igreja. Matéria nesta edição.

E a Bíblia tinha razão

As artimanhas atacadistas no erário pelo ex-ministro da Educação Milton Ribeiro e pelo pastor Gilmar Santos junto ao gordo cofre do Fundo da Educação sucumbiram a um conhecido provérbio bíblico. De tanto o cântaro ir à fonte, um dia acaba se quebrando.

Parceria americana

Nelson Wilians Advogados fecha parceria com escritório dos Estados Unidos para operações de investimento e financiamento para projetos de infraestrutura no Brasil, entre outros temas.

O tempo achado

Gilberto Schwartsmann, médico e escritor gaúcho, está lançando o romance A amante de Proust (Sulina) dia 29 de junho, no Foyer do Theatro São Pedro. Em 14 de julho, a obra terá sessão de autógrafos na livraria Travessa, no Rio de Janeiro. O romance mergulha no chamado "lago desconhecido", expressão usada por Marcel Proust na sua obra-prima Em busca do tempo perdido.

Miúdas

DIFÍCIL achar um só partido que não tenha broncas internas.

DIFÍCIL achar um consenso em assuntos de importância nacional.

DIFÍCIL um ponto de convergência entre candidatos afora o genérico saúde/educação.

FÁCIL constatar que o bom senso foi extinto.

CRIADA nova expressão para ilustrar a burrice: pessoa que chuta com as quatro.

PRIMEIRO mandamento da política: ao candidato não basta parecer esperto, tem que ser esperto.

Conteúdo Publicitário
Leia também
Comentários CORRIGIR TEXTO