Porto Alegre, segunda-feira, 29 de novembro de 2021.
Porto Alegre,
segunda-feira, 29 de novembro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Governo Federal

- Publicada em 29/11/2021 às 16h05min.

Bolsonaro determinou abordagem a mulher detida após xingá-lo, diz PRF em B.O

Segundo o registro, a equipe da escolta abordou o veículo "mediante determinação do próprio sr. Presidente"

Segundo o registro, a equipe da escolta abordou o veículo "mediante determinação do próprio sr. Presidente"


EVARISTO SA/AFP/JC
A abordagem da Polícia Rodoviária Federal a uma mulher na Via Dutra, em Resende (RJ), no sábado (27), foi determinada pelo próprio presidente Jair Bolsonaro (sem partido), segundo boletim de ocorrência registrado pela equipe da PRF que realizava a escolta oficial.
A abordagem da Polícia Rodoviária Federal a uma mulher na Via Dutra, em Resende (RJ), no sábado (27), foi determinada pelo próprio presidente Jair Bolsonaro (sem partido), segundo boletim de ocorrência registrado pela equipe da PRF que realizava a escolta oficial.
De acordo com o documento, ao qual a reportagem teve acesso, o presidente estava na rodovia por volta de nove horas da manhã acenando para motoristas quando foi xingado pela mulher, que estava no banco de passageiro de um veículo.
Na ocorrência consta que ela "gritou palavras de calão direcionadas a ele mais especificamente berrou 'Bolsonaro filho da p..., em atitude de tamanho desrespeito."
A mulher foi levada para uma delegacia da Polícia Federal de Volta Redonda, no Rio, e foi liberada em seguida, após se comprometer a comparecer à Justiça.
Ainda segundo o registro, a equipe da escolta abordou o veículo "mediante determinação do próprio sr. Presidente" e enquadrou a autora da injúria nas "devidas cominações legais e qualificou os demais ocupantes."
A PRF coloca que o episódio foi repassado para uma equipe da Polícia Federal que estava nas proximidades e colheu mais informações.
"Diante das informações obtidas, foi constatada, em princípio, ocorrência de injúria com causa de aumento de um terço na pena por ter sido cometida contra o Sr. Presidente da República", consta no B.O.
O artigo citado na ocorrência é o 140 do Código Penal, "injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro", com pena de "detenção, de um a seis meses, ou multa", mais um terço, que consta no artigo 141.
Bolsonaro estava em Resende para participar da formatura de cadetes na Aman (Academia Militar das Agulhas Negras).
Folhapress
Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO