Porto Alegre, terça-feira, 28 de setembro de 2021.
Porto Alegre,
terça-feira, 28 de setembro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Câmara dos Deputados

- Publicada em 28/09/2021 às 13h23min.

Lira critica Petrobras e convoca reunião de líderes para falar sobre combustíveis

O presidente da Câmara já havia criticado a companhia ao anunciar uma comissão geral na Câmara com a empresa para debater o preço dos combustíveis

O presidente da Câmara já havia criticado a companhia ao anunciar uma comissão geral na Câmara com a empresa para debater o preço dos combustíveis


CLEIA VIANA/CÂMARA DOS DEPUTADOS/JC
O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), foi mais uma vez às redes sociais para criticar a Petrobras e reclamar do alto preço dos combustíveis. Nesta terça-feira (28), no Twitter, ele anunciou que na quarta (29) vai reunir os líderes da Casa para discutir o assunto. Há duas semanas, Lira já havia criticado a companhia ao anunciar uma comissão geral na Câmara com a empresa para debater o preço dos combustíveis.
O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), foi mais uma vez às redes sociais para criticar a Petrobras e reclamar do alto preço dos combustíveis. Nesta terça-feira (28), no Twitter, ele anunciou que na quarta (29) vai reunir os líderes da Casa para discutir o assunto. Há duas semanas, Lira já havia criticado a companhia ao anunciar uma comissão geral na Câmara com a empresa para debater o preço dos combustíveis.
"Amanhã (quarta-feira), vamos colocar alternativas em discussão no Colégio de Líderes. O fato é que o Brasil não pode tolerar gasolina a quase R$ 7 e o gás a R$ 120", escreveu o parlamentar.
O anúncio de Lira vem um dia depois que a Petrobras teve de convocar a imprensa para explicar que sua política de preços continua a mesma, acompanhando a paridade internacional e o câmbio, e no mesmo dia em que ele irá com o presidente Jair Bolsonaro a um evento de entrega de moradias no interior de Alagoas, reduto eleitoral do deputado. O alto preço dos combustíveis é um dos temas que tem tirado o sossego de Bolsonaro pelo impacto na inflação e no humor de seus eleitores.
Na segunda-feira, 27, o presidente da estatal, Joaquim Silva e Luna, afirmou que não haverá mudança na política de preços da Petrobras - mais cedo, Bolsonaro havia dito ter conversado com o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, "sobre a nossa Petrobras" e sobre que fazer "para melhorar ou diminuir o preço na ponta da linha".
Na entrevista coletiva, Silva e Luna disse que seus preços da companhia estão defasados em comparação com o mercado internacional. O diretor de Comercialização e Logística da empresa, Claudio Mastella, declarou que a empresa "está olhando com carinho a possibilidade de reajuste de preço dos combustíveis".
Nesta terça, a estatal reajustou o valor do diesel em suas refinarias em R$ 0,25 por litro. O valor passará de R$ 2,81 para R$ 3,06, uma alta de 8,9%. Essa é a primeira revisão no preço do combustível em 85 dias.
A fala de Mastella foi destacada no post de Lira, que ironizou: "O diretor da Petrobras Cláudio Mastella diz que estuda com 'carinho' um aumento de preços diante desse cenário. Tenho certeza que ele é bem pago para buscar outras soluções que não o simples repasse frequente."
Lira ainda pontuou que o dólar persiste num patamar alto e, junto com a valorização do barril de petróleo, pressiona o preço dos combustíveis, que "é insustentável".
O presidente da Câmara também fez questão de dizer que a Casa "está fazendo seu dever de casa para o país retomar a economia respeitando os limites fiscais e sendo responsável em todas as suas sinalizações para o mercado".
Agência Estado
Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário