Porto Alegre, quinta-feira, 14 de janeiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 14 de janeiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Coronavírus

- Publicada em 18h13min, 14/01/2021.

Lewandowski dá 5 dias para Estados e DF informarem volume de estoque de insumos

O DF e os Estados devem informar ao tribunal qual a quantidade de agulhas e seringas

O DF e os Estados devem informar ao tribunal qual a quantidade de agulhas e seringas


JONATHAN HECKLER/JC
O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou nesta quinta-feira (14) que o Distrito Federal e os 26 Estados do País informem ao tribunal o volume de seringas e agulhas que possuem em seus estoques para a vacinação contra o novo coronavírus.
O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou nesta quinta-feira (14) que o Distrito Federal e os 26 Estados do País informem ao tribunal o volume de seringas e agulhas que possuem em seus estoques para a vacinação contra o novo coronavírus.
Em reunião com prefeitos de todo País nesta quinta-feira (14) o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou que a vacinação contra a Covid-19 em todo o País começará no próximo dia 20, às 10h, em todo o País, se a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) der o aval para o uso emergencial de imunizantes no País.
Lewandowski quer que o DF e os Estados informem ao tribunal qual a quantidade de agulhas e seringas que possuem em seus estoques, discriminando o número daquelas que estão destinadas à execução do Plano Nacional de Vacinação; ao atendimento das ações ordinárias de saúde pública local; e à participação no recente Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação Contra a Covid-19.
O Ministério da Saúde apontou, em ofício enviado ao Supremo na última quarta-feira (13), que sete Estados - Acre, Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Pernambuco e Santa Catarina - "não teriam estoque suficiente" para suprir demanda inicial, caso houvesse disponibilidade imediata de 30 milhões de doses.
Segundo o governo, "diversas ações" estão sendo realizadas pelo Ministério da Saúde para a aquisição de insumos, como 7 milhões adquiridas em um pregão; aumento do quantitativo a ser adquirido pela Opas em compra internacional (que passou de 40 milhões para 190 milhões), bem como a reedição dos processos de licitação que serão republicados com o quantitativo de 290 milhões de unidades.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO