Porto Alegre, quarta-feira, 18 de novembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 18 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Eleições 2020

- Publicada em 21h00min, 17/11/2020.

Juliana Brizola foi cobrada por eleitores a apoiar Manuela

Apesar de ser a primeira vez que Juliana Brizola encabeça uma chapa majoritária, terminou o primeiro turno da eleição em quarto lugar, com 6,41% dos votos.

Apesar de ser a primeira vez que Juliana Brizola encabeça uma chapa majoritária, terminou o primeiro turno da eleição em quarto lugar, com 6,41% dos votos.


Mariana Ramos/divulgação/JC
Marcus Meneghetti
Depois de parabenizarem a candidata à prefeitura de Porto Alegre Juliana Brizola (PDT) pela quarta colocação no primeiro turno da eleição municipal, uma forte mobilização de eleitores da pedetista pediu nas redes sociais que ela apoie a candidatura de Manuela d'Ávila (PCdoB) no segundo turno. O PDT porto-alegrense se reuniu na noite de terça-feira (17). A alternativa era apoiar Manuela ou ficar independente no segundo turno da eleição na Capital. Juliana divulgou nas suas redes, pouco antes de começar a reunião, que iria defender o apoio à candidata do PCdoB.
Depois de parabenizarem a candidata à prefeitura de Porto Alegre Juliana Brizola (PDT) pela quarta colocação no primeiro turno da eleição municipal, uma forte mobilização de eleitores da pedetista pediu nas redes sociais que ela apoie a candidatura de Manuela d'Ávila (PCdoB) no segundo turno. O PDT porto-alegrense se reuniu na noite de terça-feira (17). A alternativa era apoiar Manuela ou ficar independente no segundo turno da eleição na Capital. Juliana divulgou nas suas redes, pouco antes de começar a reunião, que iria defender o apoio à candidata do PCdoB.
Na segunda etapa do pleito, Manuela - que somou 29% dos votos no primeiro turno - enfrenta o ex-vice-prefeito Sebastião Melo (MDB) - que teve 31,01% dos votos. Juliana Brizola totalizou 6,41% dos votos válidos, o que pode ser avaliado como um bom desempenho, considerando que é a primeira vez que ela encabeça uma candidatura majoritária.
Minutos antes da reunião da executiva, Juliana adiantou sua posição no Twitter: "defenderei o apoio à candidatura de Manuela d'Ávila. Aos que reclamaram do tempo (da demora no anúncio): em partido grande é assim, definimos as coisas com muito debate. O apoio se dará por meio de compromissos divulgados em breve".
Muitos eleitores reclamaram da demora na decisão do PDT nas redes sociais de Juliana. O segundo turno da eleição terá pouco menos de duas semanas de campanha. A pressão pelo apoio à Manuela começou ainda na segunda-feira (16) - principalmente nos perfis de Juliana no Instagram e Facebook.
Na segunda-feira (16), a pedetista fez a mesma publicação nas duas redes sociais, na qual agradeceu aos porto-alegrenses pela sua votação. Só no Facebook, mais de 1 mil eleitores comentaram o post, a grande maioria pedindo que ela apoiasse Manuela.
Na noite de segunda (16), Juliana Brizola replicou uma mensagem de Ciro Gomes - provável candidato do PDT à presidência da República em 2022. "No PDT, quem conduz os encaminhamentos é o presidente nacional, amigo e irmão Carlos Lupi. Converso e pondero, ouvimos com carinho todas as opiniões e o que Lupi anunciar, fala por mim. Seja em São Paulo, Rio de Janeiro ou Porto Alegre. O PDT nunca será puxadinho de ninguém", dizia o texto de Ciro.
Na mesma postagem, Juliana complementou a mensagem do líder nacional: "O PDT tem projeto nacional de desenvolvimento. Temos líderes. E caminharemos unidos. Não seremos puxadinho de ninguém".
A mensagem causou grande desconforto nos eleitores que acompanham Juliana nas redes sociais, porque muitas pessoas interpretaram o post como um indicativo de que o PDT não apoiaria Manuela. Só no Facebook, até às 19h de terça-feira (17),  havia mais de 2,1 mil comentários - quase todos pedindo apoio a Manuela. No Instagram, Juliana chegou a bloquear os comentários.
No Facebook, uma eleitora do PDT comentou: "Vamos apoiar Manuela d'Ávila para prefeita! Juliana, honre o legado brizolista e faça o que teu avô (Leonel Brizola) teria feito! Fique ao lado das causas que tu mesma defendeste ao longo da campanha: mulheres, educação, causas sociais, segurança pública! Não fique ao lado de negacionistas e bolsonaristas. Brizola, a quem minha família sempre defendeu, jamais titubearia".
O primeiro partido a definir apoio à Manuela foi o PSOL, de Fernanda Melchionna, formalizado ainda na segunda-feira (16). Terça-feira (17), foi a vez da Rede Sustentabilidade, partido que esteve na coligação de Juliana no primeiro turno.
A confirmação veio por meio da ex-senadora Marina Silva em sua conta no Twitter. "A Rede decidiu apoiar Manuela d'Ávila à prefeita de Porto Alegre. Nesse momento tão difícil do nosso País, ter uma mulher com o compromisso e qualidade política de Manuela na defesa da democracia, dos direitos humanos e no combate às desigualdades sociais é um sopro de esperança", escreveu Marina.
Comentários CORRIGIR TEXTO