Porto Alegre, terça-feira, 17 de novembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 17 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

ELEIÇÕES 2020

- Publicada em 18h22min, 17/11/2020. Atualizada em 18h53min, 17/11/2020.

Em áudio, Nagelstein faz comentários preconceituosos e lamenta eleição de vereadores do PSOL

Candidato manifestou-se para seus eleitores e grupos de apoiadores, via mensagem de áudio

Candidato manifestou-se para seus eleitores e grupos de apoiadores, via mensagem de áudio


LUIZA PRADO/JC
Rariane Costa
Circula nas redes sociais áudio do candidato à prefeitura de Porto Alegre no primeiro turno, Valter Nagelstein (PSD), em que lamenta a vitória e a consolidação da bancada do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) na Câmara de Porto Alegre, formada, segundo ele, por "maioria de jovens e negros”. Vereadores do partido foram os mais votados na Capital
Circula nas redes sociais áudio do candidato à prefeitura de Porto Alegre no primeiro turno, Valter Nagelstein (PSD), em que lamenta a vitória e a consolidação da bancada do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) na Câmara de Porto Alegre, formada, segundo ele, por "maioria de jovens e negros”. Vereadores do partido foram os mais votados na Capital
Em sua fala, Valter lamenta ainda que a maior parte da composição do Legislativo esteja ocupada pela esquerda. “Fica cada vez mais evidente que a ocupação que a esquerda promoveu nos últimos 40 anos da universidade, das escolas, do jornalismo e da cultura produzem os seus resultados. São vereadores sem nenhuma tradição política, nenhuma experiência, nenhum trabalho e com pouquíssima qualificação formal”, afirma.
O PSOL elegeu 4 vereadores para a próxima legislatura, sendo eles dois negros, e terá uma das maiores bancadas da Casa. Com 15.702 votos, Karen Santos foi eleita a vereadora mais votada na Capital e foi às redes sociais se manifestar sobre o episódio. "Valter Nagelstein está em crise de choro pelo resultado da eleição. Não sabe perder. Não temos que dar palanque pro Valter. Eles vão ter que nos respeitar", relatou.
Matheus Gomes (PSOL), outro vereador dos mais votados no pleito, classificou a fala do candidato como uma "análise visivelmente racista, que mente sobre nossa trajetória e formação, vinda de quem só pisa na periferia pra pedir voto e nada conhece". Gomes afirma ainda que o ódio propagado no áudio de Nagelstein é apenas uma justificativa para "seu péssimo desempenho eleitoral".
Na disputa pela prefeitura, o candidato do PSD ficou em sexto lugar, com 3,10% dos votos. Nesta terça-feira (17), ele formalizou apoio à candidatura de Sebastião Melo no segundo turno.
Fernanda Melchionna, que disputou o paço Municipal pelo PSOL, também se manifestou contra o discurso do oponente. “Nagelstein fez uma fala racista sobre nossos vereadores e os chamou de desqualificados. Elegemos professores, advogados, líderes comunitários, alguns com pós-graduação”, disse.
Ainda nas redes sociais o representante do PSD, do qual é também presidente municipal, afirmou não haver racismo em sua fala. “Há um diagnóstico: de que um discurso encontrou eco nas urnas e que muitos eleitos têm pouca qualificação formal. Só isso”, completou.
Comentários CORRIGIR TEXTO