Porto Alegre, terça-feira, 17 de novembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 17 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

ELEIÇÕES 2020

- Publicada em 19h30min, 16/11/2020. Atualizada em 08h42min, 17/11/2020.

Melo fecha com PP e avança no diálogo com PSD e Republicanos

Sebastião Melo liderou reunião com a coordenação de campanha

Sebastião Melo liderou reunião com a coordenação de campanha


DANIEL BARBOSA/DIVULGAÇÃO/JC
Fernanda Crancio
A costura inicial de apoios partidários para a corrida ao segundo turno dominou a pauta de Sebastião Melo (MDB), candidato a prefeito de Porto Alegre melhor colocado no primeiro turno das eleições municipais, ao longo desta segunda-feira (16).
A costura inicial de apoios partidários para a corrida ao segundo turno dominou a pauta de Sebastião Melo (MDB), candidato a prefeito de Porto Alegre melhor colocado no primeiro turno das eleições municipais, ao longo desta segunda-feira (16).
Entre entrevistas e telefonemas que dominaram a agenda do emedebista, reuniões de equipe e com a coordenação de campanha alinhavaram os primeiros passos da composição do bloco para o pleito do dia 29 de novembro. Poucas horas após ter garantido vaga para a nova fase da disputa, o candidato já garantiu apoio do PP e está prestes a fechar com o PSD e o Republicanos nesta terça-feira (17).
No meio da tarde, uma grande reunião na sede do comitê da campanha avaliou o resultado do primeiro turno e deu o tom de como será a nova fase da disputa. Em pouco mais de duas horas, Melo e o vice Ricardo Gomes (DEM) falaram e ouviram os companheiros de sigla. Por volta das 17h30min, ao sair do encontro, Melo confirmou que teria uma conversa com o candidato Valter Nagelstein (PSD) na terça-feira (17) à noite, e com representantes do Republicanos, do candidato João Derly, e do Progressistas, de Gustavo Paim, durante o dia. "Nesses três apoios já temos avanços, mas é um dia de muita dificuldade para todos nós e estamos nos organizando", disse Melo.
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/11/16/206x137/1_7f0a1806-9191345.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5fb2e680586cc', 'cd_midia':9191345, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/11/16/7f0a1806-9191345.jpg', 'ds_midia': 'Sebastião Melo teve reunião com a coordenação de campanha na tarde desta segunda-feira (16)', 'ds_midia_credi': 'DANIEL BARBOSA/DIVULGAÇÃO/JC', 'ds_midia_titlo': 'Sebastião Melo teve reunião com a coordenação de campanha na tarde desta segunda-feira (16)', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '533', 'align': 'Left'}Sebastião Melo (MDB) e Ricardo Gomes (DEM) deram o tom da próxima fase da campanha eleitoral em encontro com equipe de campanha. Fotos: Daniel Barbosa/Divulgação/JC
Paim, que conquistou menos de 2% dos votos válidos, já havia manifestado seu apoio pessoal a Melo via redes sociais, na manhã desta segunda-feira. Em postagem no Twitter, confirmou: "Desde o começo tenho dito que Manuela ou Marchezan seriam as piores opções para Porto Alegre. No 2º turno, portanto, sem titubear, apoio Sebastião Melo".
Em outra manifestação, disse ainda que Porto Alegre precisa de uma liderança mais estável, e que espera que a dobradinha Melo-Gomes "transforme nossa cidade na capital da liberdade econômica".
Já com Nagelstein, que recebeu 3% de votos, o acerto está afinado, mas será consolidado em encontro entre os candidatos no início da noite desta terça. Embora não tenha se pronunciado diretamente sobre o apoio a Melo, o representante do PSD, ao agradecer no Twitter os votos recebidos, adiantou: "Mas vamos derrotar o socialismo nesta eleição!".
O Republicanos, partido de João Derly, que ficou com 2,94% de votos, também deverá formalizar o apoio na tarde desta terça. Entre representantes da legenda, a adesão à chapa de Melo é dada como certa, apesar de ainda não validada. "Provavelmente amanhã (nesta terça) teremos alguma posição", disse um membro da executiva municipal da sigla. 
No foco da campanha de Melo está ainda a busca dos eleitores de Juliana Brizola (PDT), que obteve cerca de 6% dos votos válidos. Segundo o emedebista, ainda não houve conversa com a sigla. Juliana Brizola não se manifestaram ao longo de todo o dia. Quando questionado sobre a possibilidade de procurar pessoalmente a candidata trabalhista, sua colega de Assembleia Legislativa, ele foi cauteloso. "Estamos aguardando manifestações e as posições. Ainda não fiz contato com a Juliana", comentou.
Já sobre a busca de um eventual apoio do PSDB, legenda do atual prefeito Nelson Marchezan Júnior, terceiro colocado na eleição de domingo, com pouco mais de 21% dos votos, Melo desconversou e disse que dialoga com algumas pautas do governo do tucano, sobre as quais poderá vir a manter em uma futura gestão, mas que não houve qualquer contato nesse sentido. "Não houve qualquer conversa com ele", ressaltou o emedebista.
Procurado pela reportagem, o presidente municipal do PSDB não retornou às ligações.
A candidata Manuela d´Ávila (PCdoB), que disputará o segundo turno com Melo, garantiu nesta segunda-feira o apoio de Fernanda Melchionna (PSOL)
Comentários CORRIGIR TEXTO