Porto Alegre, segunda-feira, 16 de novembro de 2020.
Dia Internacional da Tolerância.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 16 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Eleições 2020

- Publicada em 23h14min, 15/11/2020. Atualizada em 09h28min, 16/11/2020.

Porto Alegre: Melo e Manuela vão disputar o segundo turno

Melo teve 31% dos votos e Manuela, recebeu 29%, e vão brigar a parir de agora no segundo turno

Melo teve 31% dos votos e Manuela, recebeu 29%, e vão brigar a parir de agora no segundo turno


Arte/JC
Marcus Meneghetti e Thiago Copetti
Os candidatos Sebastião Melo (MDB) e Manuela D'Ávila vão disputar o segundo turno e decidir quem será o próximo prefeito de Porto Alegre. O TSE finalizou por volta das 23h deste domingo (15). Melo teve 31,01% ou 200.280 votos. Manuela recebeu 29%, 187.262 votos.
Os candidatos Sebastião Melo (MDB) e Manuela D'Ávila vão disputar o segundo turno e decidir quem será o próximo prefeito de Porto Alegre. O TSE finalizou por volta das 23h deste domingo (15). Melo teve 31,01% ou 200.280 votos. Manuela recebeu 29%, 187.262 votos.
Cauteloso na hora de comemorar a vaga no segundo turno do pleito em Porto Alegre, Melo agradeceu ao PTB e diz que buscará apoio de Valter e Derly no segundo turno
“Quero agradecer ao PTB e dizer que gostaria muito que o Fortunati estive aqui, hoje, e liguei para convidá-lo. Fui um dos primeiros a ligar para o Fortunati quando do lamentável episódio (da impugnação da chapa), porque havia justificativa legal para que continuasse na disputa", disse Melo, no Ritter Hotel, no centro da cidade, onde celebrou o resultado do primeiro turno. 
Manuela disse que a escolha mostrou que a Capital quer um caminho diferente. Em pronunciamento pela internet ,após a apuração dos resultados, a candidata disse que quer entender porque a abstenção foi tão grande nesta eleição - cerca de 45% dos porto-alegrenses votaram em branco, nulo ou não compareceram ao colégio eleitoral.
"Primeiro, a população mostrou que quer mudar a prefeitura e ouvir mais sobre as propostas dos dois candidatos que passaram ao segundo turno. Segundo, pelo grande número de abstenção, mais de 30% (até aquele momento), a população disse que gostou do primeiro turno da eleição, que teve muita baixaria, baixo nível, mentiras", comentou.
O atual prefeito, Nelson Marchezan Júnior (PSDB) teve 21,07% ou 136.063 votos. Juliana Brizola (PDT) teve 6,41%, ou 41.407 votos. Fernanda Melchionna (PSOL) teve 4,34%, Valter Nagelstein (PSD), 3,1%, João Derly (Republicanos), com 2,94%, e Gustavo Paim (PP), com 1,24%.
O total de votos recebidos chegou a 645.755, 89,13% do total. Brancos foram 36.678, ou 5,06% e 42.076, 5,81%, foram nulos.
Marchezan se manifestou pelas redes sociais sobre o resultado e atribuiu a derrota a dificuldades de comunicar as medidas adotadas na gestão. Sobre o segundo turno, o prefeito disse que seria "impossível" se manifestar e que o partido deve avaliar e decidir. Mas Marchezan afirmou que os finalistas não tinham firmeza para combater temas como o da corrupção.
Comentários CORRIGIR TEXTO