Porto Alegre, sexta-feira, 16 de outubro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 16 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Educação

- Publicada em 10h45min, 16/10/2020. Atualizada em 10h49min, 16/10/2020.

Famurs reforça posição contra à volta às aulas das escolas estaduais

Maneco vai 'cobrar a revisão de alguns pontos do anúncio do governador' Leite

Maneco vai 'cobrar a revisão de alguns pontos do anúncio do governador' Leite


farmurs/divulgação/jc
A quatro dias da volta das aulas presenciais em escolas estaduais, a Federação das Associações dos Municípios do RS (Famurs) divulga nota reforçando que é contra o retorno. A retomada foi confirmada esta semana pela governador Eduardo Leite, quando foram anunciados protocolos e ações para o setor.  
A quatro dias da volta das aulas presenciais em escolas estaduais, a Federação das Associações dos Municípios do RS (Famurs) divulga nota reforçando que é contra o retorno. A retomada foi confirmada esta semana pela governador Eduardo Leite, quando foram anunciados protocolos e ações para o setor.  
O presidente da Famurs, Maneco Hassen, diz que, mesmo com a decisão, os municípios que tomarem decisão contrária "baseada na sua realidade local" devem ser respeitados.
“Não é de bom tom o fato do governo do Estado condicionar o retorno de outras atividades ao retorno das aulas", reagiu Maneco, citando que as prefeituras têm autonomia para definir os procedimentos.  
Uma das alegações para restrições à retomada é que há dificuldades de atender a medidas para proteção, compra de equipamentos e outros itens. O transporte escolar também seria um segmento sensível para os gestores municipais. Escolas de Educação Infantil estão voltando em muitas localidades, como em Porto Alegre.
A federação avalia que não há segurança para a volta da comunidade escolar e diz que terá nova reunião com o governador na próxima semana. A intenção é "cobrar a revisão de alguns pontos do anúncio do governador".
“Esperamos que a decisão seja revertida e a autonomia dos municípios possa ser respeitada, e que o governo mantenha o bom diálogo que tem tido conosco até o presente momento”, projeta o dirigente.
Comentários CORRIGIR TEXTO