Porto Alegre, quarta-feira, 23 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 23 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Eleições 2020

- Publicada em 21h14min, 14/09/2020. Atualizada em 21h14min, 14/09/2020.

MDB oficializa nome de Melo à prefeitura de Porto Alegre

Emedebista Sebastião Melo (e) e Ricardo Gomes, do DEM, selam união

Emedebista Sebastião Melo (e) e Ricardo Gomes, do DEM, selam união


/GALILEU OLDENBURG/DIVULGAÇÃO/JC
Marcus Meneghetti
Com a presença de representantes de todos os membros da coligação (MDB, DEM, Cidadania, Solidariedade, Democracia Cristã, PRTB e PTC), a convenção municipal dos emedebistas oficializou, nesta segunda-feira (14) a candidatura de Sebastião Melo à prefeitura de Porto Alegre. Com isso, a um dia do prazo final para a realização das convenções partidárias, o cenário eleitoral está praticamente definido em Porto Alegre, com 11 candidaturas oficializadas até agora. Em seu discurso, Melo criticou a gestão do prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB) e apresentou propostas mais afinadas com as teorias de liberalismo econômico.
Com a presença de representantes de todos os membros da coligação (MDB, DEM, Cidadania, Solidariedade, Democracia Cristã, PRTB e PTC), a convenção municipal dos emedebistas oficializou, nesta segunda-feira (14) a candidatura de Sebastião Melo à prefeitura de Porto Alegre. Com isso, a um dia do prazo final para a realização das convenções partidárias, o cenário eleitoral está praticamente definido em Porto Alegre, com 11 candidaturas oficializadas até agora. Em seu discurso, Melo criticou a gestão do prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB) e apresentou propostas mais afinadas com as teorias de liberalismo econômico.
Antes de Melo, quem se pronunciou foi o candidato a vice-prefeito Ricardo Gomes (DEM) - que, embora tenha sido secretário municipal no início da gestão de Marchezan, se tornou um crítico da administração tucana. "Ouvimos que Porto Alegre teria uma nova atitude. Tivemos uma má atitude, com o fim do diálogo, com a gestão encerrada dentro do gabinete do paço municipal".
Gomes, que será o coordenador de campanha, deu o tom que a candidatura deve adotar: "vamos substituir a política do confronto, da cara feira, pelo aperto de mão, pelo diálogo. Tenho certeza que, ao longo da campanha, mostraremos os nossas propostas e mostraremos que temos o melhor projeto para Porto Alegre. Mais do que isso: provaremos que somos uma chapa confiável".
Melo abriu o seu discurso dizendo que "a primeira coisa que temos que fazer é devolver a prefeitura à cidade. Aquilo ali não é um reino. O prefeito tem que estar junto da população". E complementou: "precisamos fazer uma campanha de nível. Não baixaremos o nível. Mas também não vou levar desaforos para casa".
O emedebista defendeu alterações no Plano Diretor, que deve ser revisado em 2021. "Temos que revisar o Plano Diretor no ano que vem, pensando em tornar a cidade atrativa aos investimentos. Não tenho medo nenhum em discutir a altura dos prédios da cidade. Nossa geração errou ao estender horizontalmente a cidade. Ela deveria ter ficado concentrada, porque a vida das pessoas seria muito melhor", avaliou.
"Também queremos criar o IPTU Verde, que é um incentivo para as construtoras instalarem nos prédios placas fotovoltaicas e cisternas de água para lavar as calçadas e aguar os jardins, sem usar água do DMAE", prosseguiu Melo.
Ao falar sobre o licenciamento ambiental, foi incisivo: "vamos adotar três caminhos: autolicenciamento, centralizar o licenciamento em um lugar só e vamos montar um escritório para receber projetos prontos".
Além da candidatura de Melo, outras 10 foram oficializadas até agora: Valter Nagelstein (PSD), Fernanda Melchionna (PSOL), Manuela d'Ávila (PCdoB), Juliana Brizola (PDT), Rodrigo Maroni (Pros), Gustavo Paim (PP), Julio Flores (PSTU), José Fortunati (PTB), MontSerrat Martins (PV) e João Derly (Republicanos). Nesta terça-feira (15), acontecem as convenções do DEM, que deve oficializar Ricardo Gomes como vice de Melo, e do PSDB, que deve lançar Marchezan à reeleição.
Comentários CORRIGIR TEXTO