Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

investigação

- Publicada em 10h53min, 25/08/2020. Atualizada em 10h53min, 25/08/2020.

Secretário de Saúde do DF é preso em ação que investiga compra de testes para Covid

Secretário Francisco Araújo foi preso na manhã desta terça-feira

Secretário Francisco Araújo foi preso na manhã desta terça-feira


/REPRODUÇÃO/JC
O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios desencadeou na manhã desta terça-feira (25), a segunda etapa da Operação Falso Negativo - que investiga irregularidades na compra de testes para a Covid-19 pelo governo do DF - e prendeu o secretário de Saúde, Francisco Araújo. Os agentes cumprem ainda outros seis mandados de prisão e 44 de busca e apreensão.
O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios desencadeou na manhã desta terça-feira (25), a segunda etapa da Operação Falso Negativo - que investiga irregularidades na compra de testes para a Covid-19 pelo governo do DF - e prendeu o secretário de Saúde, Francisco Araújo. Os agentes cumprem ainda outros seis mandados de prisão e 44 de busca e apreensão.
Aberta inicialmente no início de julho, a Falso Negativo apura suposto superfaturamento na compra de testes para a doença ocasionada pelo novo coronavírus. Os investigadores miram em crimes de organização criminosa, fraude em licitação, cartel, lavagem de dinheiro e corrupção passiva e ativa.
Na primeira etapa da operação foram cumpridos 74 mandados de busca e apreensão no Distrito Federal e em mais sete Estados: Bahia, Espírito Santo, Goiás, Paraná, Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo. Na ocasião, entre os alvos da ofensiva estavam o subsecretário de Administração Geral da Secretaria de Saúde do DF, Iohan Andrade Struck e o diretor do Laboratório Central do DF, Jorge Antônio Chamon Júnior, também é alvo da investigação.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO