Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

DISTANCIAMENTO CONTROLADO

- Publicada em 17h48min, 10/08/2020. Atualizada em 19h44min, 10/08/2020.

Com nove regiões em bandeira vermelha, RS tem 59,5% da população sob alto risco da Covid-19

População de 239 municípios vive nas áreas com maior risco epidemiológico no Estado

População de 239 municípios vive nas áreas com maior risco epidemiológico no Estado


REPRODUÇÃO/JC
Fernanda Crancio
A partir da meia-noite desta terça-feira (11), nove regiões do Estado entram em bandeira vermelha na 14ª rodada do distanciamento controlado: Porto Alegre, Capão da Canoa, Palmeira das Missões, Taquara, Canoas, Erechim, Passo Fundo, Pelotas e Novo Hamburgo. Com isso, mais de 6,7 milhões de gaúchos de 239 municípios estão sob alto risco epidemiológico da Covid-19, 59,3% da população total do Estado.
A partir da meia-noite desta terça-feira (11), nove regiões do Estado entram em bandeira vermelha na 14ª rodada do distanciamento controlado: Porto Alegre, Capão da Canoa, Palmeira das Missões, Taquara, Canoas, Erechim, Passo Fundo, Pelotas e Novo Hamburgo. Com isso, mais de 6,7 milhões de gaúchos de 239 municípios estão sob alto risco epidemiológico da Covid-19, 59,3% da população total do Estado.
O novo mapa, que vigora até o dia 17 de agosto, foi consolidado após análise recursal de 25 pedidos de prefeituras e associações de municípios, e anunciado pelo governo do Estado na tarde desta segunda-feira (10). No mapa preliminar, divulgado na sexta-feira (7), 12 regiões constavam como áreas de alto risco epidemiológico. Retornam à bandeira laranja, de nível médio de risco, as regiões de Uruguaiana, Guaíba e Bagé, que tiveram recursos deferidos pelo Executivo gaúcho, somando um total de 12 áreas do Estado com classificação laranja.
Além disso, 115 cidades são beneficiadas pela chamada "regra 0-0", não tendo registro de óbitos e aumento de internações na última semana, podendo adotar critérios da bandeira laranja, mesmo estando em regiões de alto risco. A medida beneficiará 554 mil pessoas (4,9 % da população) com menor grau de restrições às atividades e circulação.
Foram indeferidos os recursos apresentados pelas regiões de Passo Fundo, Palmeira das Missões, Erechim, Capão da Canoa, Taquara, Canoas e Pelotas, que permanecem em bandeira vermelha, por terem apresentado alto nível de ocupação dos leitos e de propagação do vírus, se somando a Novo Hamburgo e Porto Alegre, que já estavam com classificação vermelha e não contestaram a condição.
Segundo o governador Eduardo Leite, o final do mês de junho e todo o mês de julho foram os períodos mais difíceis da pandemia no Estado. "Do fim de junho para cá os números mostram o crescimento das bandeiras vermelhas. E o modelo do distanciamento controlado é justamente para estabelecer as restrições na região, proporção e no momento adequado, para não termos de fechar tudo e em todas as regiões", comentou Leite.
O chefe do Executivo gaúcho confirmou ainda que deverá ser publicado nesta segunda-feira (10) o decreto que estabelece e regra a cogestão do modelo do distanciamento controlado com as prefeituras, que passará a valer juntamente com o mapa desta semana.
Comentários CORRIGIR TEXTO