Porto Alegre, sexta-feira, 15 de maio de 2020.
Dia do Assistente Social.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 15 de maio de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Governo federal

Alterada em 15/05 às 10h43min

Irritado, Bolsonaro insiste que estava interessado na segurança familiar

Presidente Bolsonaro, em frente ao Palácio da Alvorada, na manhã desta sexta

Presidente Bolsonaro, em frente ao Palácio da Alvorada, na manhã desta sexta


Redes sociais/ reprodução/ jc
O presidente Jair Bolsonaro voltou a falar na manhã desta sexta-feira (15) que seu interesse nas trocas que pretendia teriam objetivo de promover a segurança de sua família. O ex-ministro Sérgio Moro diz que o mandatário queria fazer trocas na Polícia Federal (PF).
O presidente Jair Bolsonaro voltou a falar na manhã desta sexta-feira (15) que seu interesse nas trocas que pretendia teriam objetivo de promover a segurança de sua família. O ex-ministro Sérgio Moro diz que o mandatário queria fazer trocas na Polícia Federal (PF).
"A interferência não é nesse contexto da inteligência não, é no contexto da segurança familiar. É bem claro, é na segurança familiar. Não toco PF na palavra, nem Polícia Federal na palavra segurança familiar", afirmou ao sair do Palácio da Alvorada, ao comentar o vídeo da reunião ministerial.
Bolsonaro afirmou que a PF não é responsável pela sua segurança, que fica a cargo do Gabinete da Segurança Institucional (GSI).
Irritado, o presidente chamou a entrevista de "palhaçada" se recusou a continuar respondendo perguntas sobre o tema. "Eu não vou me submeter a um interrogatório da parte de vocês. Espero que a fita se torne pública para que a análise correta seja feita", disse.
O presidente disse que, após a divulgação do vídeo da reunião ministerial, será criticado por falar palavrões. "O que rouba e mete a mão, esse está a altura (de ser presidente) e fala bonito. Fala manso. Como o ex-presidente boca mole e continua falando besteira por aí", disse sem citar diretamente a quem se referia.
Comentários