Porto Alegre, quarta-feira, 11 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Câmara de Porto Alegre

Notícia da edição impressa de 11/03/2020. Alterada em 10/03 às 21h26min

Antes maior bancada, MDB tem apenas dois vereadores

Rariane Costa
A composição da bancada do MDB sofreu significativas alterações nesta legislatura. Em 2017, o partido tinha o maior número de vereadores na Câmara Municipal de Porto Alegre. Na ocasião, André Carús, Nádia Gerhard, Mendes Ribeiro, Valter Nagelstein e Idenir Cecchim compunham a bancada. Nenhum cumpriu todo o mandato pelo MDB.
A composição da bancada do MDB sofreu significativas alterações nesta legislatura. Em 2017, o partido tinha o maior número de vereadores na Câmara Municipal de Porto Alegre. Na ocasião, André Carús, Nádia Gerhard, Mendes Ribeiro, Valter Nagelstein e Idenir Cecchim compunham a bancada. Nenhum cumpriu todo o mandato pelo MDB.
Entre um pedido de renúncia, posse em secretaria do governo e perdas na janela partidária, a sigla deve finalizar 2020 com dois representantes no Legislativo da Capital, Idenir Cecchim e Lourdes Sprenger, perdendo o posto de maior bancada da casa para PTB e DEM, hoje com cinco representantes cada um.
Os desfalques no MDB começaram em 2018, na ocasião, durante o governo Sartori (MDB), Idenir Cecchim foi empossado secretário Extraordinário de Assessoramento Superior do Gabinete do Governador. Posteriormente, o parlamentar retomou a vereança.
No ano seguinte, em 2019, Carús renunciou ao mandato em função de investigações que apuravam crime de administração pública. No lugar do então vereador, que no período também ocupava a presidência do MDB municipal, assumiu Lourdes Sprenger, primeira suplente que assumiu a vereança desde então.
Lourdes faz parte da Mesa Diretora da Câmara como segunda vice-presidente e pretende a reeleição como vereadora. "Foi um mandato muito gratificante. Gosto do Legislativo, me sinto realizada. O Executivo não me atrai tanto assim", afirma a parlamentar. Lourdes, defensora da causa animal, tem atuação na Câmara desde 2012.
Na janela partidária, ainda no início de março, Valter Nagelstein anunciou seu desligamento do partido. Ele comuniciou que vai se candidatar à prefeitura da Capital pelo PSD. Nagelstein afirmou que já havia demonstrado ao antigo partido seu interesse na candidatura pelo Executivo de Porto Alegre, mas que não se submeteria a prévias, como propõem os emedebistas.
Nádia Gerhard e Mendes Ribeiro oficializaram a mudança na última sessão ordinária da Câmara, ambos agora representam o DEM. Nádia afirmou que sua mudança aconteceu porque "os caminhos não se encontram mais". Mendes Ribeiro, por sua vez, declarou que teve "história de família" com o partido.
Líder da bancada do MDB na casa, Cecchim afirmou que os vereadores que deixaram a legenda na janela partidária prestaram serviços e foram leais ao partido. "Desejo sorte e sucesso nas fileiras que forem trilhar de agora em diante. O MDB é um partido de oportunidades que não tem ódio e nem rancor. É um partido que torce pelo bem daqueles que tem boa vontade com a população", declarou.
O parlamentar avalia que as mudanças na janela partidária são naturais, destacando nomes importantes que seguem no partido. "É natural que algumas pessoas saiam enquanto outras entram. Nós já estamos compensando a saída desses companheiros com novas filiações e novos candidatos para a eleição. As principais lideranças do MDB no Rio Grande do Sul e em Porto Alegre continuam: Pedro Simon, José Fogaça, José Ivo Sartori, Germano Rigotto, Sebastião Melo", destaca.
Para o vereador, a eleição municipal será uma oportunidade para construir novamente uma bancada forte na Câmara. "Nosso partido é grande. Já temos 40 pré-candidatos a vereador, vamos fechar nossa nominata com 54 candidatos e com isso fazer uma boa bancada", afirma. Idenir Cecchim confirma que irá concorrer a reeleição em outubro.