Porto Alegre, terça-feira, 18 de fevereiro de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Transportes

Notícia da edição impressa de 13/02/2020. Alterada em 18/02 às 12h51min

Prefeitura de Porto Alegre pede que ATP não dê aumento para rodoviários

Objetivo é conter o aumento na tarifa dos ônibus da cidade, atualmente em R$ 4,70

Objetivo é conter o aumento na tarifa dos ônibus da cidade, atualmente em R$ 4,70


CLAITON DORNELLES/Arquivo/JC
A prefeitura de Porto Alegre recomendou à Associação dos Transportadores de Passageiros (ATP) que não conceda aumento aos rodoviários em 2020. O objetivo é conter o aumento na tarifa dos ônibus da cidade, atualmente em R$ 4,70 e que as empresas querem que passe a ser de R$ 5,20.
A prefeitura de Porto Alegre recomendou à Associação dos Transportadores de Passageiros (ATP) que não conceda aumento aos rodoviários em 2020. O objetivo é conter o aumento na tarifa dos ônibus da cidade, atualmente em R$ 4,70 e que as empresas querem que passe a ser de R$ 5,20.
Conforme a prefeitura, o custo da mão de obra do transporte da Capital é o segundo maior do País, representando quase 50% do valor da tarifa. Em nota, o governo critica os posicionamentos do Legislativo municipal que "não se mostrou sensível ou propositivo à pauta". Além disso, conforme o Executivo, os rodoviários trabalharam contra as alternativas propostas desde 2017.
Na manifestação, a prefeitura afirma que o valor da passagem, que já é elevado, "caminha para patamares ainda mais inaceitáveis". "Sem novas fontes de financiamento, sem reduzir os gastos, não é suportável mais nenhum acréscimo nos custos, como aumento salarial, pois os mesmos, por força de lei, irão compor o reajuste da tarifa", conclui a nota.
Diversos estudos recentes apontam o aumento do peso do custo do transporte para as contas do usuário. Porto-alegrense gasta 23% do salário mínimo com transporte. 
Todo início de ano, a discussão se repete em Porto Alegre: como a população vai dar conta de um novo aumento nas tarifas de ônibus. Em 2020 não está sendo diferente. A novidade está no pacote de propostas da prefeitura com vistas a conter os aumentos e, mais do que isso, reduzir o valor da passagem.