Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 25 de janeiro de 2020.
Aniversário da cidade de São Paulo. Aniversário dos Correios e Telégrafos.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Gente

25/01/2020 - 11h08min. Alterada em 25/01 às 16h51min

Lideranças lamentam a morte de Ibsen Pinheiro

Ibsen foi responsável por abrir o processo de impeachment que destituiu Collor em 1992

Ibsen foi responsável por abrir o processo de impeachment que destituiu Collor em 1992


Marcelo Bertani/AGÊNCIA AL RS/JC
Faleceu nesta sexta-feira (24) o deputado Ibsen Pinheiro (MDB-RS), responsável por conduzir a Câmara dos Deputados em um dos períodos mais turbulentos da República após a redemocratização. Aos 84 anos, Ibsen sofreu uma parada cardiorrespiratória enquanto era atendido no Hospital Dom Vicente Scherer, em Porto Alegre. 
Faleceu nesta sexta-feira (24) o deputado Ibsen Pinheiro (MDB-RS), responsável por conduzir a Câmara dos Deputados em um dos períodos mais turbulentos da República após a redemocratização. Aos 84 anos, Ibsen sofreu uma parada cardiorrespiratória enquanto era atendido no Hospital Dom Vicente Scherer, em Porto Alegre. 
Na Câmara, Ibsen foi responsável por abrir o processo de impeachment que destituiu Fernando Collor do Planalto, em 1992. Formado como jornalista, ele também exerceu carreira na área do Direito, como advogado, procurador de Justiça e promotor. Na política, foi do cargo de vereador a deputado constitucionalista.
Como chefe da Câmara, exerceu interinamente a Presidência da República em ao menos duas ocasiões. Ibsen exerceu mandato como deputado estadual no Rio Grande do Sul até a última legislatura, que se encerrou em 2018.
"A perda desse grande companheiro - uma das mentes mais brilhantes da política - deixa um vazio no coração do MDB de todo o Rio Grande do Sul e do Brasil", escreveu, em nota, o MDB gaúcho.
Atual presidente da Câmara, o deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ) também lamentou a morte. "Ele presidiu a Casa com muita seriedade, num dos momentos mais importantes da democracia brasileira", escreveu Maia. "Ibsen foi um exemplo para mim, tive a oportunidade de conviver e aprender muito com ele. Perdemos um homem público diferenciado."
O presidente nacional do MDB, Baleia Rossi, expressou pesar pela morte de Ibsen. "O Brasil, nós do MDB e em especial o Estado do Rio Grande do Sul lamentamos a perda de Ibsen Pinheiro. Grande parlamentar foi deputado constituinte e presidente da Câmara com brilhantismo e espírito sempre democrático."
O governador Eduardo Leite decretou luto oficial de três dias no Rio Grande do Sul. "Recebi com tristeza a notícia do falecimento do deputado Ibsen Pinheiro. Ibsen foi homem público incansável na luta por um País melhor. Sua trajetória política, marcada pelo diálogo e pelo respeito, deixa grande legado ao Brasil", destacou Leite na sua conta no Twitter.
Ibsen era natural de São Borja, onde também foi decretado luto oficial de três dias. O vice-prefeito do município, no exercício do cargo de prefeito, Roque Feltrin, destacou os relevantes serviços prestados por Ibsen ao longo de sua vida, nas diferentes áreas em que atuou. 
O corpo de Ibsen Pinheiro foi velado na Assembleia Legislativa de Porto Alegre.
Estadão Conteúdo
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia