Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 14 de janeiro de 2020.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Caxias do Sul

02/01/2020 - 20h56min. Alterada em 02/01 às 21h03min

Caxias do Sul tem novo prefeito em exercício após impeachment de Guerra

Ricardo Daneluz assumiu como prefeito em exercício e fica no cargo até realização de eleição indireta

Ricardo Daneluz assumiu como prefeito em exercício e fica no cargo até realização de eleição indireta


GUSTAVO TAMAGNO MARTINS/PREFEITURA CAXIAS DO SUL/JC
Caxias do Sul tem novo prefeito, pelo menos por enquanto. O vereador Ricardo Daneluz (PDT) assumiu como prefeito em exercício, após ser empossado como presidente da Câmara Municipal. A maior cidade da serra gaúcha e terceiro maior PIB do Rio Grande do Sul ficou sem prefeito devido ao impeachment do prefeito Daniel Guerra (Republicanos).
Caxias do Sul tem novo prefeito, pelo menos por enquanto. O vereador Ricardo Daneluz (PDT) assumiu como prefeito em exercício, após ser empossado como presidente da Câmara Municipal. A maior cidade da serra gaúcha e terceiro maior PIB do Rio Grande do Sul ficou sem prefeito devido ao impeachment do prefeito Daniel Guerra (Republicanos).
Daneluz fica na função até quinta-feira (9), quando ocorrerá a eleição indireta à prefeitura. Antes do pedetista, Flavio Cassina (PTB) chegou a assumir o Executivo no período de abertura do processo de afastamento de Guerra, que foi aprovado em 22 de dezembro após sessão que durou 52 horas, mais de dois dias.
Cassina concorrerá a prefeito em chapa com Edio Elói Frizzo (PSB). Após a votação e definido o resultado, Daneluz volta ao comando da Câmara. 
Os vereadores acataram denúncias contra o prefeito e que fizeram parte do pedido de afastamento feito pelo ex-vice-prefeito Ricardo Fabris de Abreu, que já havia renunciado ao cargo. Guerra foi alvo de sete processos de impeachment. O ex-prefeito foi acusado de proibir a realização de atividades na praça central da cidade, com base em decreto municipal, contrariando preceito constitucional, e de desconsiderar posição do Conselho Municipal da Saúde, que não aprovou a gestão compartilhada a UPA Zona Norte.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia