Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 10 de setembro de 2019.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Prefeitura de Porto Alegre

Edição impressa de 10/09/2019. Alterada em 09/09 às 21h52min

Novo IPTU será sancionado hoje por Marchezan e vai vigorar já em 2020

O prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior (PSDB), sanciona nesta terça-feira (10) o projeto de lei do novo Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), aprovado na Câmara Municipal em 30 de abril. Assim, o ano que vem será o primeiro em que o IPTU da Capital terá a planta de valores atualizada desde 1991.
O prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior (PSDB), sanciona nesta terça-feira (10) o projeto de lei do novo Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), aprovado na Câmara Municipal em 30 de abril. Assim, o ano que vem será o primeiro em que o IPTU da Capital terá a planta de valores atualizada desde 1991.
Após quase 30 anos, Marchezan transformará em lei as propostas de revisão das alíquotas do imposto, bem como do valor venal dos 767 mil imóveis da cidade.
Notícias sobre Porto Alegre são importantes para você?
A versão final do texto aprovado pelos vereadores por 22 votos a 14 estava travada no Legislativo desde um requerimento que pedia a renovação de sua votação, até uma medida liminar suspender o artigo do regimento interno da Casa no qual se baseava o requerimento e ordenar que a matéria fosse encaminhada para a sanção do prefeito.
Assim, o projeto será transformado em lei em tempo hábil para valer já no ano que vem, isto é, 90 dias antes do fim do ano. A prefeitura já contava com isso, afinal, incluiu na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2020, há um montante de R$ 68 milhões extras referentes ao acréscimo de arrecadação que resultará a atualização do IPTU.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia