Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 06 de setembro de 2019.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

assembleia legislativa

Alterada em 06/09 às 03h00min

Audiência discute venda de imóveis do IPE-Saúde

Representantes do MP e do TCE, e usuários do IPE participaram de debate na Comissão de Serviços Públicos

Representantes do MP e do TCE, e usuários do IPE participaram de debate na Comissão de Serviços Públicos


LUIZ MOREM/AGÊNCIA ALRS/JC
Enquanto acontecia o debate sobre o Plano Plurianual na Comissão de Finanças da Assembleia Legislativa, na manhã desta quinta-feira, a Comissão de Segurança e Serviços Públicos realizava uma audiência sobre a venda dos imóveis do IPE-Saúde. O debate aconteceu depois do lançamento da subcomissão para investigar o tema. Os participantes querem explicações sobre a venda do patrimônio da autarquia.
Enquanto acontecia o debate sobre o Plano Plurianual na Comissão de Finanças da Assembleia Legislativa, na manhã desta quinta-feira, a Comissão de Segurança e Serviços Públicos realizava uma audiência sobre a venda dos imóveis do IPE-Saúde. O debate aconteceu depois do lançamento da subcomissão para investigar o tema. Os participantes querem explicações sobre a venda do patrimônio da autarquia.
A partir da discussão com membros do Ministério Público (MP), do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e ex-dirigentes e usuários do Instituto de Previdência do Estado (IPE), a subcomissão definiu algumas medidas, como cobrar agilidade do Tribunal de Justiça (TJ) no julgamento da ação civil pública movida pelo MP contra a alienação de imóveis do IPE-Saúde. O colegiado também deve solicitar à Central de Licitações e ao Comitê Gestor de Imóveis, do governo do Estado, a relação dos imóveis já alienados e daqueles previstos para o serem.
O MP quer que a Justiça suspenda o processo de venda dos imóveis promovido pelo Estado; a permanência dos bens sob o controle do IPE-Saúde; ou o pagamento de uma indenização ao IPE Saúde pelo confisco dos imóveis de sua propriedade.
Os 217 imóveis do IPE - avaliados em mais de R$ 300 milhões - passaram ao controle do Palácio Piratini em 2017, através da lei que separou o instituto em duas autarquias: o IPE-Prev, para administrar as aposentadorias dos servidores públicos; e o IPE-Saúde, para administrar o plano de saúde que atende mais de 1 milhão de pessoas. 
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia