Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 12 de agosto de 2019.
Dia Nacional da Juventude .

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Operação Lava Jato

Edição impressa de 12/08/2019. Alterada em 12/08 às 03h00min

Raquel Dodge indica à Suprema Corte como a União será ressarcida por delatores

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, enviou oito petições ao Supremo Tribunal Federal em que especifica a forma como delatores que fecharam acordos de colaboração premiada na Operação Lava Jato devem efetuar o ressarcimento à União e a outros órgãos públicos lesados.
A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, enviou oito petições ao Supremo Tribunal Federal em que especifica a forma como delatores que fecharam acordos de colaboração premiada na Operação Lava Jato devem efetuar o ressarcimento à União e a outros órgãos públicos lesados.
Encaminhados ao relator do caso, ministro Edson Fachin, os documentos são sigilosos e estão relacionados a colaborações de ex-executivos das empresas Odebrecht e OAS. Somados, os valores acertados a título de multa totalizam mais de R$ 14,7 milhões.
As informações foram divulgadas pela Secretaria de Comunicação Social da Procuradoria. Em cada um dos casos, a Procuradoria-Geral da República (PGR) requer a divisão dos pagamentos de maneira que as partes prejudicadas sejam ressarcidas.
De acordo com as solicitações, devem receber os pagamentos, por exemplo, a União, a Petrobras, os estados do Rio e de São Paulo, e os fundos de pensão e investimentos Petros e FI-FGTS. Em algumas petições, a procuradora-geral também requer que sejam estabelecidas cláusulas específicas, como a apresentação, pelo delator, dos extratos das contas por ele controladas.
Ela salienta ainda que "eventual atraso no pagamento importará no vencimento antecipado de todas as parcelas não pagas, na incidência de multa de mora de 20%, na correção do débito pela Selic e na execução das garantias oferecidas".
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia