Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 11 de julho de 2019.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Reforma da Previdência

Alterada em 11/07 às 13h39min

Deputados cobram de Maia definição de cronograma para votações da reforma

Casa ainda precisa analisar 17 destaques à proposta, além de realizar uma votação em segundo turno

Casa ainda precisa analisar 17 destaques à proposta, além de realizar uma votação em segundo turno


LUIS MACEDO/CÂMARA DOS DEPUTADOS/JC
Estadão Conteúdo
Após o encerramento abrupto da sessão de votação da reforma da Previdência na quarta-feira (10), deputados cobram agora do presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), uma definição clara do cronograma para os próximos dias. A Casa ainda precisa analisar 17 destaques à proposta, além de realizar uma votação em segundo turno.
Após o encerramento abrupto da sessão de votação da reforma da Previdência na quarta-feira (10), deputados cobram agora do presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), uma definição clara do cronograma para os próximos dias. A Casa ainda precisa analisar 17 destaques à proposta, além de realizar uma votação em segundo turno.
Os parlamentares querem organizar suas viagens aos Estados e precisam saber se terão que permanecer em Brasília. Há, no entanto, uma divisão entre os que defendem que as votações entrem pela madrugada desta sexta-feira, 12, e pelo fim de semana, se necessário, e há os que defendem que as análises dos destaques prossigam até amanhã e que a votação do segundo turno da proposta fique para a semana que vem.
Por ser véspera do início do recesso, marcado para começar em 18 de julho, há o risco do quórum da próxima semana ser mais baixo do que o registrado na sessão de quarta-feira, quando 510 deputados votaram o texto-base. Foram 379 votos a favor e 131 contrários. São necessários 308 votos favoráveis para se aprovar o texto no segundo turno também.
Apesar de ter convocado sessão para às 9 horas desta quinta, a expectativa é a de que a análise dos 17 destaques que ainda estão na pauta só seja retomada na parte da tarde. Maia ainda não chegou à Câmara e estão presentes na Casa apenas 307 deputados.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia