Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 11 de julho de 2019.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

gente

11/07/2019 - 08h25min. Alterada em 11/07 às 08h25min

Morre em São Paulo, aos 85 anos, o sociólogo Chico de Oliveira

Estadão Conteúdo
Morreu nessa quarta-feira (10) em São Paulo, aos 85 anos, o sociólogo Francisco de Oliveira, mais conhecido como Chico de Oliveira. Um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores (PT) nos anos 1980, Chico de Oliveira se formou em ciências sociais pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) em 1956, e concluiu um doutorado em sociologia em 1992 pela Universidade de São Paulo, onde começou a dar aulas em 1988.
Morreu nessa quarta-feira (10) em São Paulo, aos 85 anos, o sociólogo Francisco de Oliveira, mais conhecido como Chico de Oliveira. Um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores (PT) nos anos 1980, Chico de Oliveira se formou em ciências sociais pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) em 1956, e concluiu um doutorado em sociologia em 1992 pela Universidade de São Paulo, onde começou a dar aulas em 1988.
No ano de 2004, o sociólogo recebeu o prêmio Jabuti, a mais tradicional premiação literária do Brasil, pela obra Crítica à razão dualista/O ornitorrinco, publicado pela editora Boitempo.
Apesar de contribuir para a criação do partido, Chico de Oliveira tornou-se crítico ao PT após a chegada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República, em 2003. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo em 2016, Chico disse que o partido como "força transformadora tinha acabado".
Em nota, o PT lamentou a morte do sociólogo. "Chico foi também crítico ao PT, do qual se desfiliou em 2003. Nunca foi, no entanto, adversário. Em nome do PT, reconhecemos e agradecemos sua grande contribuição ao partido", diz o texto.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia