Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 08 de maio de 2019.
Dia do Profissional de Marketing.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Assembleia Legislativa

Edição impressa de 08/05/2019. Alterada em 08/05 às 03h00min

Cargos para comando do Banrisul geram polêmica

Também na ordem do dia da sessão de ontem, na Assembleia Legislativa, a indicação do presidente e de cinco diretores do Banrisul não chegou a ser votada, mas rendeu manifestações na tribuna e uma carta do PT justificando o voto contrário.
Isso porque circula uma informação de que um acordo entre o governo do Estado e os indicados elevaria seus vencimentos mensais - o documento do PT fala em aumento de R$ 15 milhões para R$ 20 milhões anuais.
Para o ocupante do cargo de presidente, por exemplo, a remuneração mensal deve chegar a R$ 100 mil. Sabatinado na Comissão de Finanças, Planejamento e Controle, Cláudio Coutinho Mendes justificou que os salários precisam ser adequados ao mercado.
Na ocasião, a bancada petista solicitou que a votação de cada nome fosse feita separadamente. Dois deles, oriundos do quadro de servidores do Banco, são aprovados pelo partido de oposição. A alegação em contrário aos demais indicados, além do aumento na remuneração, é a origem na iniciativa privada.
A declaração de voto assinada pelos líderes da bancada, Luiz Fernando Mainardi, e do partido, Fernando Marroni, aponta que a definição da empresa de origem dos gestores tem "especialidade em privatizações".
Também o MDB se manifestou contrário ao acordo de remuneração aos futuros diretores do banco, discussão essa que não passa pelo Legislativo. "Não somos contrários aos nomes. Mas não concordamos que, com as dificuldades do Estado, a aprovação passe sem debater com os deputados o quanto (cada diretor) vai ganhar", justifica o deputado Sebastião Melo (MDB). O parlamentar manifesta ainda preocupação com o efeito cascata que a medida pode gerar.
Enquanto o tema era tratado, Melo pediu verificação de quórum, que foi derrubado sem os registros de presença dos deputados da oposição, do MDB e do PSB.
Os demais indicados são Osvaldo Lobo Pires, Raquel Santos Carneiro, Marcus Vinícius Feijó Staffen, Claise Müller Rauber e Fernando Postal para os cargos de diretores do Banrisul.
Além de Mendes, Pires e Raquel também são profissionais oriundos do mercado financeiro do Rio de Janeiro.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia