Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 21 de março de 2019.
Dia contra a Discriminação Racial.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Operação Lava Jato

21/03/2019 - 12h26min. Alterada em 21/03 às 12h36min

MDB nega irregularidade de Michel Temer e Moreira Franco após prisões

Detenção foi feita por ordem do juiz Marcelo Bretas, responsável pela Lava Jato no Rio

Detenção foi feita por ordem do juiz Marcelo Bretas, responsável pela Lava Jato no Rio


Reprodução/GloboNews/JC
Estadão Conteúdo
O MDB divulgou nota nesta quinta-feira (21) para criticar a prisão do ex-presidente Michel Temer. A detenção foi feita por ordem do juiz Marcelo Bretas, responsável pela Lava Jato no Rio, e tem relação com a delação de Lúcio Funaro. O ex-ministro Moreira Franco também foi preso.
No ano passado, Funaro entregou à Procuradoria-Geral da República informações complementares do seu acordo de colaboração premiada. Entre os documentos apresentados estão planilhas que, segundo o delator, revelam o caminho de parte dos R$ 10 milhões repassados pela Odebrecht ao MDB na campanha de 2014.
"O MDB lamenta a postura açodada da Justiça à revelia do andamento de um inquérito em que foi demonstrado que não há irregularidade por parte do ex-presidente da República, Michel Temer e do ex-ministro Moreira Franco. O MDB espera que a Justiça restabeleça as liberdades individuais, a presunção de inocência, o direito ao contraditório e o direito de defesa.", afirma a nota do partido.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia