Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 18 de março de 2019.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Câmara dos Deputados

18/03/2019 - 16h27min. Alterada em 18/03 às 16h27min

Eduardo Bolsonaro rebate crítica de Malafaia: 'já trabalhei como imigrante'

Afirmação de Eduardo Bolsonaro que brasileiros que estão ilegalmente nos EUA são uma vergonha, gerou críticas

Afirmação de Eduardo Bolsonaro que brasileiros que estão ilegalmente nos EUA são uma vergonha, gerou críticas


Paola de Orte/Agência Brasil/JC
Estadão Conteúdo
O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente da República, recorreu ao Twitter para responder às críticas feitas a ele pelo pastor evangélico Silas Malafaia.
"Se o senhor parasse de se informar pela extrema imprensa também ajudaria", escreveu Eduardo, referindo-se ao líder religioso. Malafaia havia tuitado que Eduardo "ajudaria muito mais parando de falar asneira". A crítica de Malafaia ao deputado surgiu de uma fala do parlamentar na qual afirmou que brasileiros que estão ilegalmente nos Estados Unidos são motivo de vergonha nacional.
Malafaia havia tuitado que brasileiros ilegais "em nações poderosas" não são "vagabundos nem pilantras, pelo contrário, trabalhadores que foram tentar a vida fugindo do desemprego". Na resposta ao pastor, Eduardo lembrou que também já trabalhou nos Estados Unidos "lavando pratos com mexicanos e peruanos numa cozinha cercada de neve" nos Estados do Maine e Colorado. "Sei como é", escreveu Eduardo.
O deputado, no entanto, ainda agiu com deferência em relação a Malafaia. "Mas te entendo, também ficaria bravo se alguém generalizasse os brasileiros no exterior", concluiu Eduardo em seu tuíte.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia