Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 14 de março de 2019.
Dia Nacional da Poesia. Dia do Vendedor de Livros.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Câmara dos Deputados

Alterada em 14/03 às 13h46min

Eduardo Bolsonaro é eleito presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara

Eduardo afirmou que trabalhará para aproximar o Brasil de parceiros estratégicos

Eduardo afirmou que trabalhará para aproximar o Brasil de parceiros estratégicos


MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL/JC
Estadão Conteúdo
O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) foi eleito presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Câmara. Eduardo foi eleito com 28 votos a favor e 8 em branco. O deputado Luiz Philippe de Orleans e Bragança (PSL-SP) foi escolhido para a vice-presidência.
Desde a eleição de Jair Bolsonaro para a Presidência do País, Eduardo tem participado de agendas internacionais. Ele também acompanhará o pai na semana que vem em viagem aos Estados Unidos. Jair Bolsonaro se reunirá pela primeira vez com o presidente americano, Donald Trump.
Em seu discurso de posse, Eduardo afirmou que trabalhará para aproximar o Brasil de parceiros estratégicos que, de acordo com ele, se afastaram nos últimos anos, como os Estados Unidos. "Vamos virar a página de nos aliarmos apenas com a escória da humanidade com países como Cuba e Venezuela. Não podemos colaborar com práticas autoritárias", disse.
O deputado disse também que a crise humanitária da Venezuela está "muito acima de qualquer discussão ideológica". "Internamente, eles não vão conseguir sair desse buraco sozinhos, temos que ter compaixão para ajudar nossos vizinhos", afirmou.
Eduardo Bolsonaro prometeu conduzir os trabalhos da comissão democraticamente, mesmo que ouça "o que não quer ouvir". Ele saiu da comissão assim que terminou o discurso para atender a um embaixador. Sem o presidente, os demais deputados desistiram de falar e encerraram a reunião.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia