Porto Alegre, sábado, 01 de agosto de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 01 de agosto de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Governo Federal

- Publicada em 23h09min, 20/02/2019.

Em sigilo, Onyx busca acordo com Bebianno

Em sigilo, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) destacou o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM) para negociar uma espécie de armistício com o ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência Gustavo Bebianno (PSL).

Em sigilo, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) destacou o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM) para negociar uma espécie de armistício com o ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência Gustavo Bebianno (PSL).

Aliado de primeira hora de Bolsonaro, o ex-auxiliar foi exonerado na segunda-feira, depois de ter se envolvido em uma guerra de versões sobre conversas com o presidente, alimentada pelo vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), filho de Bolsonaro e desafeto declarado de Bebianno.

Ontem, em uma conversa com Onyx, por volta de 16h50min, o presidente mostrou-se preocupado com o fato de ainda ser representado em processos judiciais por Bebianno, que é advogado de formação. Onyx disse a Bolsonaro que teria um encontro reservado com Bebianno, possivelmente nesta quinta-feira, e prometeu "acertar" a questão. A conversa foi ouvida a partir de um telefonema, aparentemente acidental, do ministro da Casa Civil para um jornalista do jornal O Globo, enquanto estava reunido com o presidente.

"Você vai conversar com ele sobre as ações?" pergunta Bolsonaro.

Onyx confirma que abordará o assunto na conversa.

"Se ele (Bebianno) me cobrar individualmente o mínimo, eu tô f... Tem que vender uma casa minha para poder pagar", disse Bolsonaro.

Onyx também informou ao presidente sobre contatos que teve com o ex-ministro, por meio de intermediários, após o jornal Folha de S.Paulo publicar na quarta-feira uma nota sobre a suposta intenção de Bebianno de juntar documentos para contar histórias sobre a campanha de Bolsonaro e o período em que ficou no governo.

Sobre a potencial ameaça, Onyx disse ao presidente que Bebianno teria "dado a palavra" de que não faria mais declarações sobre a polêmica envolvendo Carlos Bolsonaro e a troca de mensagens dele com o presidente.

O jornal O Globo procurou o presidente e Onyx. O ministro retornou com uma mensagem dizendo que não poderia falar no momento. Bolsonaro não respondeu. Já Bebianno afirmou que Bolsonaro não tem dívidas com ele por causa dos serviços advocatícios. "O trabalho foi feito por acreditar na causa, Ele não deve nada para mim e nem para os advogados que engajei", disse o ex-ministro, por meio de mensagem.

Comentários CORRIGIR TEXTO