Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 09 de janeiro de 2019.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

governo federal

Edição impressa de 09/01/2019. Alterada em 09/01 às 01h00min

Filho de Mourão vira assessor do presidente do BB e triplica salário

Antonio Hamilton Rossell Mourão, filho do vice-presidente Hamilton Mourão, será assessor especial do presidente do Banco do Brasil. A promoção foi confirmada pela assessoria do banco. Com o novo cargo, ele mais que triplicará seu salário, passando a ganhar R$ 36,3 mil por mês. A nova função equivale a um cargo de executivo.
Funcionário de carreira do banco há 18 anos, Rossell Mourão vinha atuando há 11 anos como assessor na área de agronegócio da instituição, ganhando cerca de R$ 12 mil mensais. Sua mulher, Silvia Letícia Zancan Mourão, também é funcionária do banco.
Na presidência, continuará exercendo a mesma função mas aconselhando o presidente do banco, Rubem Novaes,diretamente. A forma como o filho de subiu na carreira foi considerada inusual por funcionários.
O vice-presidente compareceu à posse de Rubem Novaes, na segunda-feira, na sede do banco, em Brasília. Mourão não foi à posse do presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães.
Segundo o estatuto do BB, o presidente tem direito a nomear três assessores especiais. Pela tradição, ele se cerca de especialistas na área jurídica, de comunicação e do agronegócio.
 

No Twitter, vice-presidente diz que filho presta 'excelentes serviços'

 
A nomeação aconteceu nesta segunda-feira, mesmo dia em que o novo presidente do banco público, Rubem Novaes, assumiu o comando da instituição.
 
"Meu filho, Antônio, ingressou por concurso no BB há 19 anos. Com excelentes serviços, conduta irrepreensível e por absoluta confiança pessoal do Presidente do Banco foi escolhido por ele para sua assessoria. Em governos anteriores, honestidade e competência não eram valorizados", disse o vice-presidente.
 
Mourão disse que a indicação ocorreu por mérito e que o filho era perseguido anteriormente. "Sem comentários. Possui mérito e foi duramente perseguido anteriormente justamente por ser meu filho", disse Mourão ao ser questionado.
 
O novo posto equivale a uma cadeira de um executivo no banco com um salário de R$ 36,3 mil.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia