Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 26 de novembro de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

transição no planalto

26/11/2018 - 12h32min. Alterada em 26/11 às 12h33min

General Carlos Alberto dos Santos Cruz é indicado para a Secretaria de Governo

Cruz é o quarto militar indicado pelo presidente eleito para a composição do seu ministério

Cruz é o quarto militar indicado pelo presidente eleito para a composição do seu ministério


STEPHANIE AGLIETTI/AFP/JC
Estadão Conteúdo
O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) comunicou nesta segunda-feira (26) a indicação do general Carlos Alberto dos Santos Cruz para a Secretaria de Governo, cargo que tem status de ministério na atual configuração da Esplanada.
"Gostaria de comunicar a indicação do General-de-Divisão Carlos Alberto dos Santos Cruz para a Secretaria de Governo", escreveu Bolsonaro em seu perfil no Twitter.
Cruz é o quarto militar indicado pelo presidente eleito para a composição de seu ministério. Além dele, vieram os generais Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e Fernando Azevedo e Silva (Defesa), bem com o tenente-coronel da Força Aérea Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia).
O general Cruz foi comandante das forças da ONU no Haiti e no Congo e chefiou, por cerca de um ano, a Secretaria Nacional de Segurança Pública no governo do presidente Michel Temer. Na semana passada, ele havia sido anunciado para o mesmo cargo pelo filho de Bolsonaro, o vereador do Rio Carlos Bolsonaro.
Carlos, que era cotado para a Secretaria de Comunicação da Presidência, deixou a equipe de transição na última quinta-feira (22), após desavença com o futuro titular da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gustavo Bebianno.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia