Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 25 de outubro de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Eleições 2018

Alterada em 25/10 às 16h29min

Com retorno de Ciro ao Brasil, Haddad espera declaração de apoio

Desde que perdeu as eleições, Ciro fez críticas a Jair Bolsonaro e defendeu a democracia

Desde que perdeu as eleições, Ciro fez críticas a Jair Bolsonaro e defendeu a democracia


VALTER CAMPANATO/AGÊNCIA BRASIL/JC
Folhapress
A quatro dias da eleição presidencial, o candidato a presidente do PT, Fernando Haddad, ainda nutre a esperança de receber um apoio enfático de Ciro Gomes (PDT), terceiro colocado na eleição presidencial. Nesta sexta-feira (26), o pedestista retornará ao Brasil, após três semanas na Europa. A expectativa é de que ele chegue no início da noite ao aeroporto de Fortaleza, onde será recebido por amigos e aliados.
Para aliados de Haddad, uma manifestação pública de Ciro poderia impulsionar uma sonhada virada contra o adversário, o militar reformado Jair Bolsonaro (PSL), que lideras as pesquisas de intenções de voto.
Mesmo sem uma fotografia, petistas dizem acreditar que uma declaração do pedetista poderia reverberar nas redes sociais na reta final do segundo turno, dando ideia de amplitude à candidatura de Haddad no campo democrático e minimizando a resistência ao PT.
O entorno de Ciro, contudo, considera pouco provável que ele faça um aceno explícito. A intenção do grupo do pedetista é tornar a recepção no aeroporto uma espécie de lançamento informal de sua candidatura à sucessão presidencial em 2022.
Desde que perdeu as eleições, Ciro fez críticas a Bolsonaro e defendeu a democracia, mas não mencionou Haddad e não declarou voto explícito à candidatura do petista.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia