Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 19 de outubro de 2018.
Dia do Profissional de Informática. Dia da Inovação.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Eleições 2018

19/10/2018 - 16h15min. Alterada em 19/10 às 17h07min

Polícia Federal indicia mulher por espalhar fake news no Rio Grande do Sul

Folhapress
A Polícia Federal no Rio Grande do Sul indiciou nesta quinta-feira (18) uma educadora física por ela ter gravado e divulgado um vídeo em que espalhou "fake news" contra a Justiça Eleitoral.
No vídeo, ela disse que urnas eletrônicas foram fraudadas e enviadas para o Nordeste no primeiro turno das eleições, no último dia 7, o que explicaria o bom desempenho, naquela região, do candidato Fernando Haddad (PT). A PF indiciou a mulher pelos artigos 324 e 325 do Código Eleitoral.
O primeiro estabelece como crime eleitoral "caluniar alguém, na propaganda eleitoral, ou visando fins de propaganda, imputando-lhe falsamente fato definido como crime".
Segundo a PF, a autora do vídeo pode ser condenada a até três anos de reclusão. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tem reafirmado a lisura do pleito e descartado fraude em urnas eletrônicas.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia