Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 12 de setembro de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

eleições 2018

Edição impressa de 12/09/2018. Alterada em 12/09 às 18h01min

Sartori se licencia para focar na campanha à reeleição

Emedebista intensificará agenda na reta final do período eleitoral

Emedebista intensificará agenda na reta final do período eleitoral


LUIZA PRADO/JC
Marcus Meneghetti
Desde a redemocratização, os governadores do Rio Grande do Sul que se licenciaram para se dedicar à campanha de reeleição não venceram o pleito. Os que não se licenciaram também não conquistaram um segundo mandato. Diante desse histórico, o governador José Ivo Sartori (MDB) vai tentar um caminho alternativo: parte da semana vai exercer o cargo de chefe do Executivo; na outra parte, fazer campanha.
Os deputados estaduais aprovaram, na sessão de ontem da Assembleia Legislativa, por unanimidade, o projeto de decreto Legislativo (PDL) que licencia Sartori do cargo de governador nos dias 13, 14, 19, 21, 26, 27, 28 de setembro, e de 1 a 5 de outubro. Quem assume o governo do Estado nessas datas é o vice-governador José Paulo Cairoli (PSD).
De um modo geral, o emedebista vai chefiar o Executivo apenas no início da semana. Por exemplo, nesta semana, Sartori vai dar expediente no Palácio Piratini de segunda até quarta. Na semana que vem e na próxima, apenas segunda e terça. Nos últimos sete dias de campanha (final de setembro e começo de outubro), vai se dedicar integralmente à busca de votos.
Desde que a reeleição foi instituída no Brasil, em 1997, os ex-governadores Antonio Britto (PMDB, 1995-1998) e Tarso Genro (PT, 2011-2014) se licenciaram. Olívio Dutra (PT, 1999-2002) não tentou a reeleição. Yeda Crusius (PSDB, 2007-2010) não se licenciou.
Além da licença de Sartori, os parlamentares aprovaram outras nove matérias na sessão desta terça-feira. Entre elas, o primeiro turno da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que institui o ensino da língua espanhola na rede de ensino público do Rio Grande do Sul. Uma decisão do governo federal desobrigava o estudo de espanhol nas escolas públicas.
Ontem, foi a última sessão deliberativa antes do primeiro turno das eleições, que ocorre no dia 7 de outubro. Até lá, só haverá mais duas sessões solenes. Uma será hoje, em alusão ao Movimento Cívico da Legalidade, e outra na próxima terça-feira, alusiva à Revolução Farroupilha. As demais sessões foram canceladas por decisão do colégio de líderes.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia