Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Política

COMENTAR | CORRIGIR

eleições 2018

Edição impressa de 16/08/2018. Alterada em 16/08 às 01h00min

Facebook retira do ar grupos e páginas de brasileiros por suspeita de comércio de curtidas e seguidores

Agência O Globo
O Facebook deletou, ontem, 72 grupos, 50 contas e cinco páginas mantidas por brasileiros na rede social após identificar evidências de que um grupo estava envolvido no comércio de curtidas e seguidores. Segundo a empresa, as contas foram derrubadas após uma investigação da Digital Forensic Research Lab (DFRLab), organização não governamental que atua identificando "ameaças de abusos" e "campanhas de desinformação", mostrar que o mesmo grupo participou de uma falsa ampliação de página políticas na eleição presidencial que ocorreu em julho, no México.
O Facebook descobriu que a PCSD usou uma rede em que as pessoas podiam comprar e vender reações, seguidores e páginas. Segundo a empresa, o grupo violou repetidas vezes os Padrões da Comunidade da rede social. As páginas deletadas têm referências ao PCSD. "Não permitimos um comportamento inautêntico coordenado e estamos banindo o PCSD de nossa plataforma", informou o Facebook.
Segundo o DFRLab, a rede teria potencial para reproduzir o que foi feito durante as eleições mexicanas nas eleições deste ano no Brasil. A organização e o Facebook dizem, no entanto, que não há nenhuma evidência de ligações políticas das páginas deletadas.
Em julho, o Facebook retirou do ar uma série de páginas e usuários que eram usados pelo movimento Movimento Brasil Livre (MBL) para disseminar conteúdo que incluía notícias falsas, como os perfis Jornalivre, Brasil 200 e O Diário Nacional.
 

Perfis para 'venda de engajamento' foram recriados logo após derrubada

Pouco menos de uma hora após a derrubada de uma rede de amplificação falsa de engajamento na rede social Facebook, os administradores do grupo PCSD criaram um novo grupo e novos perfis pessoais na plataforma. A estratégia foi definida como um "recomeço" por uma usuária, que se apresenta como Isabela Guimarães.

"Vamos reerguer nosso império com a mesma velocidade que nos foi tirado", escreveu ela em uma postagem às 9h21min desta quarta-feira. Em pouco menos de cinco horas, o grupo de "recomeço" do PCSD já contava com 1.249 integrantes.

Um dos moderadores da comunidade se identifica como Leite Pags - e usa a mesma foto de um dos perfis excluídos nesta quarta-feira pelo Facebook, Anderson Leite. Ele era o administrador das páginas Ri Muito, com 6 milhões de curtidas; Palavra, Pensamento e Atitude, com 1,2 milhão; e Frases e Indiretas, com 1 milhão.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia