Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 05 de agosto de 2018.
Dia Nacional da Saúde/ Farmácia .

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Eleições 2018

Alterada em 05/08 às 18h03min

Em convenção, PT confirma Miguel Rossetto e Paulo Paim

Ana Affonso e Miguel Rossetto são candidatos ao Piratini e Paulo Paim tentará reeleição ao Senado

Ana Affonso e Miguel Rossetto são candidatos ao Piratini e Paulo Paim tentará reeleição ao Senado


UBIRAJARA MACHADO/DIVULGAÇÃO/JC
Diego Nuñez
O Partido dos Trabalhadores confirmou suas chapas para as eleições majoritárias e os nomes que concorrerão às proporcionais no Rio Grande do Sul neste domingo (5), em convenção realizada no Clube do Comércio, no Centro de Porto Alegre. Miguel Rossetto foi oficialmente confirmado como o quadro do partido que disputará o Palácio Piratini no pleito de 7 de outubro, juntamente a Ana Affonso, candidata a vice-governadora. O atual senador Paulo Paim tentará a reeleição ao lado de Cleunice Back, escolhida para ser sua suplente.
O PT entra nas eleições nas eleições proporcionais com 20 candidatos para a Câmara Federal e outros 40 candidatos para a Assembleia Legislativa. A maioria dos parlamentares do PT tentará a reeleição. Todos os sete deputados federais gaúchos tentarão manter seus mandatos, enquanto que nove dos 11 deputados estaduais petistas tentarão a reeleição.
Segundo a contagem de membros da sigla, cerca de 600 pessoas compareceram à convenção, e é na força de sua militância a principal aposta do PT para manter Paim no Senado e tirar José Ivo Sartori (MDB) do posto do governador do estado do Rio Grande do Sul. Durante o encontro, não faltaram críticas à dobradinha emedebista do Governo do Estado e da Presidência da República.
Essa é a narrativa que o PT irá adotar nestes dois meses que restam para a principal data política do ano. Para o presidente estadual da legenda, Pepe Vargas, “nós não estamos vivendo a conjuntura de 2016, quando houve uma tentativa de demonização do Partido dos Trabalhadores. Hoje quem está com dificuldade de andar pela rua é o MDB, o PSDB, o PP”.
Outra estratégia que os trabalhistas estão adotando é levantar a bandeira democrática e bradar pela liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que mesmo a cerca de 700 quilômetros de distância, na sede da Polícia Federal em Curitiba, foi um dos personagens mais presentes no encontro, através de máscaras, camisetas, cartazes e bandeiras.
Outra pessoa que ocupou o cargo da presidência e também se fez indiretamente presente na convenção foi Dilma Rousseff, que gravou um vídeo para ser exibido no encontro, onde exaltou a trajetória de Paim no Senado, resgatou o histórico político de Rossetto e reafirmou Lula como candidato à presidência.
Rossetto disse ser um candidato do povo. Se colocou como trabalhador para os eleitores e disse querer “um Rio Grande justo, igualitário e democrático. O candidato afirmou também que irá “tirar o Rio Grande da crise sem vender o estado”.
Paim se colocou como “o negro senador eleito” e exaltou a “militância que me manteve 32 anos no Congresso”. Ele celebrou projetos aprovados por Lula eDilma durante os 14 anos de PT no poder e sua contribuição durante seus mandatos parlamentares.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia