Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 25 de julho de 2018.
Dia do Escritor. Dia do Motorista .

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Direitos Humanos

Edição impressa de 25/07/2018. Alterada em 25/07 às 01h00min

Presos dois suspeitos do assassinato de Marielle Franco

A Delegacia de Homicídios (DH) do Rio de Janeiro prendeu, na manhã de ontem, Alan de Moraes Nogueira, um policial militar reformado, e Luís Cláudio Ferreira Barbosa, ex-bombeiro militar. De acordo com o delegado da DH, Willians Batista, responsável pela investigação do caso de Guapimirim, uma testemunha da morte da vereadora Marielle Franco (PSOL) disse que Nogueira está ligado à execução da vereadora e de seu motorista, Anderson Gomes, em março deste ano, no Centro do Rio de Janeiro. 
Os dois presos são integrantes do bando de Orlando Oliveira Araújo, conhecido como Orlando de Curicica, miliciano que está preso na penitenciária federal de Mossoró. A prisão foi pela suspeita de envolvimento no assassinato de um policial e de um ex-policial em fevereiro do ano passado em Guapimirim, na Baixada Fluminense.
Segundo o jornal O Globo, Nogueira estaria no carro que fez a emboscada na região central do Rio e disparou contra o carro no qual estava a vereadora. Porém, o delegado não confirmou a informação do jornal. Batista disse que, como não teve acesso ao depoimento dessa testemunha, pode dizer apenas que ela apontou a participação de Nogueira. "Não tive acesso ao que ele (testemunha) falou sobre a posição de cada um nas mortes de Marielle e Anderson. Seria prematuro da minha parte dizer que eles estavam dentro do carro. Mas foi apontado que, de alguma maneira, eles participaram do caso."
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia