Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 11 de julho de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

eleições 2018

Notícia da edição impressa de 11/07/2018. Alterada em 11/07 às 01h00min

Partidos definirão candidaturas e apoios no limite do prazo

Alguns dos principais partidos deixaram para a reta final a realização de suas convenções para oficializar os candidatos à presidência ou homologar apoios a terceiros.
O PSDB ainda não anunciou oficialmente a data, mas ela foi informada pelo próprio candidato do partido, Geraldo Alckmin, a aliados, e discutida com coordenador de campanha, Marconi Perillo.
O PSDB tem dificuldades de fechar alianças com o chamado "blocão" (DEM, PP, PRB e Solidariedade), que se reúne na tarde de hoje para tentar afunilar a divisão interna sobre apoiar o tucano ou Ciro Gomes (PDT).
Na segunda-feira, caciques do MDB definiram, para o dia 4 de agosto, a convenção que irá decidir se o ex-ministro Henrique Meirelles será ou não candidato da legenda.
Já o PT elaborou um calendário político até o dia 15 de agosto, quando afirma que registrará a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mesmo com a possibilidade de ele ser declarado inelegível, com base na Lei da Ficha Limpa, já que foi condenado em segunda instância.
O PR está em negociação para fechar aliança com o pré-candidato do PSL, Jair Bolsonaro. Já o Podemos tem como pré-candidato o senador paranaense Alvaro Dias, que negocia o apoio do Pros e do PHS.
No caso do "blocão" das siglas lideradas pelo presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), os partidos oscilam entre apoiar Alckmin ou Ciro. Na semana passada, as legendas se reuniram com o tucano e deixaram claro que ainda duvidam se sua viabilidade eleitoral.
O DEM é partido mais rachado, com Maia pendendo para Ciro Gomes, enquanto os deputados Rodrigo Garcia e Mendonça Filho querem uma aliança com o PSDB, como no passado. O PP e o Solidariedade desejam fechar com Ciro. O PRB, por sua vez, prefere Alckmin. O grupo acertou que uma palavra final só deve ocorrer na próxima semana.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia