Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 25 de novembro de 2021.
Dia do Doador de Sangue. Feriado nos EUA - Dia de Ação de Graças.
Porto Alegre,
quinta-feira, 25 de novembro de 2021.

Opinião

Compartilhar

artigo

- Publicada em 14h37min, 25/11/2021.

Professores cobram providências da Reitoria da UFRGS para retorno das aulas presenciais

Lúcio Vieira
A diretoria da Adufrgs-Sindical, no dia 15 de outubro do presente ano, cumprindo decisão de assembleia geral, reuniu-se com a Reitoria da UFRGS para cobrar providências para o retorno presencial, garantindo a segurança sanitária necessária. Na oportunidade também cobrou o compromisso da administração da universidade com a coordenação do planejamento e execução das ações para esta retomada. O Reitor garantiu que até a data para o início do semestre 2021/2, prevista para o dia 17 de janeiro de 2022, todas as condições estariam contempladas e que o objetivo era o de retorno das atividades presenciais. Diante da omissão da administração da UFRGS no cumprimento de seu compromisso de promover o planejamento e assumir a responsabilidade na gestão do processo, a AdufrgsSindical, juntamente com o seu Conselho de Representantes, volta a cobrar providência da Reitoria para que assuma seu papel como órgão coordenador central, repudiando qualquer medida que transfira às unidades ou professores, este papel. O Sindicato se solidariza com as trabalhadoras e trabalhadores que vêm arcando com os custos desta ausência de liderança, e conclama a comunidade acadêmica e a sociedade em geral para somar esforços a fim de reverter este quadro de negligência. Até o momento, a Universidade mantém o Ensino Remoto Emergencial (ERE), pelo menos até maio de 2022, por ausência de ações efetivas da Reitoria para a retomada das atividades presenciais, contrariando a posição da comunidade. O reitor Carlos André Bulhões Mendes, ao manter o “modelo de retorno presencial restrito” na prática, transfere a responsabilidade aos coordenadores de comissões, diretores de unidades e chefes de departamentos, pela definição de quais atividades serão realizadas presencialmente no semestre que terá início em janeiro. Torna-se urgente a apresentação, por parte da Reitoria, de um plano com a definição das atividades e seus respectivos prazos de retorno presencial, a coordenação das adaptações da infraestrutura e as demais medidas de segurança sanitária. Diante deste quadro, exigimos da gestão central da universidade, ações e atitudes responsáveis e comprometidas com a nossa Universidade.
A diretoria da Adufrgs-Sindical, no dia 15 de outubro do presente ano, cumprindo decisão de assembleia geral, reuniu-se com a Reitoria da UFRGS para cobrar providências para o retorno presencial, garantindo a segurança sanitária necessária. Na oportunidade também cobrou o compromisso da administração da universidade com a coordenação do planejamento e execução das ações para esta retomada. O Reitor garantiu que até a data para o início do semestre 2021/2, prevista para o dia 17 de janeiro de 2022, todas as condições estariam contempladas e que o objetivo era o de retorno das atividades presenciais. Diante da omissão da administração da UFRGS no cumprimento de seu compromisso de promover o planejamento e assumir a responsabilidade na gestão do processo, a AdufrgsSindical, juntamente com o seu Conselho de Representantes, volta a cobrar providência da Reitoria para que assuma seu papel como órgão coordenador central, repudiando qualquer medida que transfira às unidades ou professores, este papel. O Sindicato se solidariza com as trabalhadoras e trabalhadores que vêm arcando com os custos desta ausência de liderança, e conclama a comunidade acadêmica e a sociedade em geral para somar esforços a fim de reverter este quadro de negligência. Até o momento, a Universidade mantém o Ensino Remoto Emergencial (ERE), pelo menos até maio de 2022, por ausência de ações efetivas da Reitoria para a retomada das atividades presenciais, contrariando a posição da comunidade. O reitor Carlos André Bulhões Mendes, ao manter o “modelo de retorno presencial restrito” na prática, transfere a responsabilidade aos coordenadores de comissões, diretores de unidades e chefes de departamentos, pela definição de quais atividades serão realizadas presencialmente no semestre que terá início em janeiro. Torna-se urgente a apresentação, por parte da Reitoria, de um plano com a definição das atividades e seus respectivos prazos de retorno presencial, a coordenação das adaptações da infraestrutura e as demais medidas de segurança sanitária. Diante deste quadro, exigimos da gestão central da universidade, ações e atitudes responsáveis e comprometidas com a nossa Universidade.
Presidente da Adufrgs-Sindical
Comentários CORRIGIR TEXTO