Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 17 de fevereiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 17 de fevereiro de 2021.

Opinião

Compartilhar

artigo

- Publicada em 16h18min, 17/02/2021.

O porquê da não mudança da Biblioteca da Smamums (antiga Smam)

Carmem von Hoonholtz
A Biblioteca da Smamus é altamente especializada, possui caráter técnico-científico, seu acervo, que reúne cerca de 20 mil exemplares, é de inestimável valor, preservando a memória ambiental da cidade de Porto Alegre. Ao longo dos anos, houve investimentos por meio de projetos, programas governamentais em atualizações quanto a materiais bibliográficos tradicionais (com direitos autorais) na área de Ciências Ambientais, além de equipamentos. Também foram incorporados documentos institucionais, como todos os Relatórios e Estudos de Impactos Ambientais, além das Audiências Públicas da Capital, e, inclusive, documentação das extintas bibliotecas do DMAE, da antiga Secretaria Municipal do Planejamento (SPM) e guarda dos documentos do Departamento de Esgotos Pluviais (DEP), o qual não possui biblioteca.
A Biblioteca da Smamus é altamente especializada, possui caráter técnico-científico, seu acervo, que reúne cerca de 20 mil exemplares, é de inestimável valor, preservando a memória ambiental da cidade de Porto Alegre. Ao longo dos anos, houve investimentos por meio de projetos, programas governamentais em atualizações quanto a materiais bibliográficos tradicionais (com direitos autorais) na área de Ciências Ambientais, além de equipamentos. Também foram incorporados documentos institucionais, como todos os Relatórios e Estudos de Impactos Ambientais, além das Audiências Públicas da Capital, e, inclusive, documentação das extintas bibliotecas do DMAE, da antiga Secretaria Municipal do Planejamento (SPM) e guarda dos documentos do Departamento de Esgotos Pluviais (DEP), o qual não possui biblioteca.
Seu cabedal reúne acervos especiais doados pelas famílias do primeiro secretário emérito da pasta, jornalista Roberto Eduardo Xavier, e da pioneira ambientalista Magda Renner,
O espaço atual foi projetado por arquiteto, profissional habilitado para considerar todos os condicionantes que requerem um espaço de pesquisa técnico-científica, além de resguardar a história, a memória e a cultura ambiental.
Portanto, uma mudança é totalmente inviável na atual conjuntura do País, pois, além de demandar maiores recursos públicos, ofereceria inevitável risco de uma perda irreparável de acervo, com consequências desastrosas para o meio ambiente porto-alegrense.
Bibliotecária aposentada da SMAM, atual Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Urbanismo e Sustentabilidade (Smamus)
Comentários CORRIGIR TEXTO